Blog

UM LIVRO NÃO É APENAS UM LIVRO

 

 

Tem gente que acha que um livro é um monte de frases encadeadas – seja na forma de poesia, seja na de prosa. E tem razão: um livro é uma pequena organização de ideias, traduzidas em palavras escritas e, eventualmente, números e imagens.

Mas o livro não é só isso. Por trás de cada livro, há um sistema muito maior: que me perdoem os escritores, mas um livro é resultado, sempre, de muito mais gente.

Quando você, talvez preguiçosamente deitado antes de dormir, talvez dentro de uma biblioteca deliciosamente silenciosa, quiçá no meio da praça enquanto passa um ônibus freando ou ainda no meio de uma dura reunião de trabalho, certamente não vai pensar em quanta gente deu um duro danado pra que essas ideias escritas chegassem a você.

Mas admita que é bastante interessante pensar narcisicamente numa corrente de pessoas que, sem que você sequer imaginasse que um dia precisaria tanto do desse ou daquele livro, pensaram em você. Ou seja, para elas, você já existia antes de o livro existir para você.

Primeiro, há uma pessoa jurídica dedicada a pensar na melhor forma de fazer os livros existirem, que é chamada “editora”. Evidentemente, uma editora é feita de pessoas físicas, que executam cotidianamente as tarefas que lhe dão vida.

E quando o livro começa a existir? Primeiro, o arquivo de texto que o escritor manda à editora é avaliado, e muitos dos textos enviados não são escolhidos; depois de avaliado e aceito, o texto é preparado (com frequência, ele é reescrito, leve ou radicalmente, sempre com concordância do escritor); após a preparação, ele é diagramado, ou seja, o livro é “desenhado”. Nesse “desenho”, os editores e designers têm de escolher a melhor fonte, a melhor distância entre as letras, onde vão os títulos, em que lugar começa o texto, qual o tamanho da página e como será feita a numeração, se as fotos serão coloridas ou em preto e branco etc… E a capa, que é a cara do livro: os editores tentam, sempre, dar a melhor capa para o livro, aquela que o torne atrativo, mas que também o represente.

O livro feito e impresso na gráfica precisa chegar aos leitores. Os livros são vendidos por livrarias virtuais e físicas, mas às vezes chegam às pessoas com vendedores porta a porta ou ainda vão parar nas bancas de jornal. Como o livro é também uma mercadoria, dá-se a essa operação o mesmo nome que recebe o trabalho de distribuir carros, televisores, xampus: logística.

Mas o livro tem algumas peculiaridades: são dezenas de milhares de novos livros, cada um diferente do outro, editados, todos os anos, apenas no Brasil. Não há nenhum outro produto no mercado capitalista que conte com tamanha variedade de conteúdo – os livros podem até se parecer por fora, porém acabam dizendo coisas completamente diferentes por dentro…

Esse processo de desenvolvimento de cada título faz com que o trabalho do editor seja, ao mesmo tempo, industrial e artesanal: há gráficas, equipamentos e organização de uma indústria, mas, ao mesmo tempo, mesmo o livro mais banal é feito de forma única.

O livro é, com todo esse trabalho envolvido, portanto, uma coisa muito valiosa. Uma coisa valiosa que a gente lê por prazer ou necessidade. São duas formas igualmente legítimas e necessárias de fruir o conhecimento. Os editores sabem disso, e trabalham sempre para que, se possível, as leituras sejam prazerosas mesmo que necessárias, e necessárias porque prazerosas.

Tem mais uma coisa que precisamos dizer: em cada estante desta feira, você vai encontrar o que a gente chama de projeto editorial. Uma editora não se constrói, nunca, com apenas um livro. As editoras vão construindo seu catálogo, que é ao mesmo tempo uma coleção de livros e uma história da própria editora. Quando você se deparar com aquele monte de livros à sua frente em qualquer desses estandes, tente por um momento imaginar o projeto editorial que aqueles livros que você está selecionando contam.

A Primavera Literária nasceu da ideia de expor os projetos editoriais diferentes, de empresas que se preocupavam a fundo com seus catálogos e com a coerência de seus livros. A gente luta para preservar esses projetos, porque eles são a essência do que a gente chama de bibliodiversidade. A bibliodiversidade, portanto, não se expressa só quantos títulos diferentes você encontra no mercado, mas quantos desses projetos diferentes podem sobreviver num ambiente econômico, cultural e político hostil para com a cultura e a diferença.

Leitores que reconhecem a importância de cada livro publicado são fundamentais para defendermos a diversidade, a liberdade e a igualdade de expressão. Em resumo, para defendermos a democracia.

Haroldo Ceravolo Sereza é editor da Alameda e jornalista. Foi Presidente da Libre por dois mandatos, de 2011-2015.

DEPOIMENTO DA LIBREIRA SEMENTE EDITORIAL SOBRE A FEIRA DE GUADALAJARA 2017

A editora Larissa Kouzmin-Korovaeff, da Semente Editorial

 

 

A Rubéns Padilla, Mariana Warth e diretoria da Libre

 

Agradeço imensamente a oportunidade incrível de ter participado da Feira de Guadalajara 2017. Foi minha primeira participação em feira internacional de livros como editora e posso dizer que foi uma experiência apaixonante. Em todos os sentidos.

Como microempresária à frente da Semente Editorial – uma pequena editora independente do interior do Espírito Santo, mais precisamente, da Serra do Caparaó –, foi inspirador poder ouvir as histórias e depoimentos compartilhados no Encuentro de Editoriales Infantiles y Juveniles, de tantos outros que, como eu, são movidos pela paixão de fazer livros encantadores, e acreditam que livros mudam o mundo. Ver editores que começaram com as mesmas dificuldades que eu, de produzir e colocar seus livros no mercado, com quase nenhum recurso além do humano, e que estão caminhando e crescendo, renovou minhas forças e minha esperança. Como designer, participar do Foro Internacional de Diseño Editorial, e poder ver projetos gráficos com outras estéticas e poéticas, foi enriquecedor. Voltei ao Brasil com a cabeça cheia de ideias, e a mala cheia de livros de diferentes países. No salão de direitos, entender e praticar como funciona o processo de internacionalização dos livros e como atuam outros editores, foi igualmente precioso e ampliou meus horizontes.

A organização da feira e a oferta de atrativos culturais e profissionais foram incríveis. Mesmo presente das 9:00 às 21:00, e aproveitando todo o tempo disponível, a vontade de participar de tantas outras coisas foi forte e sempre presente. Rubén Padilla e todos as pessoas que ali trabalhavam foram de uma gentileza impecável.

Agradeço imensamente a oportunidade oferecida pela Libre, fruto da parceria estabelecida com a organização da Feira de Guadalajara através de Rubén Padilla ; à Mariana Warth que prontamente se disponibilizou a orientar-me e sanar minhas inseguranças, incentivando e oferecendo informações fundamentais para tal realização; e ainda, à Raquel Menezes e Camila Perlingeiro, pelo acolhimento na feira, ao lá chegar.

Um capítulo à parte foi a viagem ao México, um país mágico e grandioso, que deixa na boca um enorme gostinho de quero mais. Espero poder voltar porque simplesmente adorei!

 

Rio de Janeiro, 28 de janeiro de 2018.

Lara Kouzmin-Korovaeff / Semente Editorial

 

FEIRA INTERNACIONAL DO LIVRO DE GUADALAJARA

Grande evento do mercado editorial e a cada edição demonstrando mais relevância no calendário de eventos do setor, a Feira de Guadalajara congrega editores e demais profissionais da cadeia produtiva da livro do mundo inteiro, que se reúnem para trocar informações e fazer negócios. É uma oportunidade ímpar para negociar direitos de publicação e, principalmente, para expandir os espaços das editoras e obras latino americanas.

A 18ª Feira Internacional do Livro de Guadalajara acontece de 25 de novembro a 3 de dezembro de 2017, em Guadalajara, México e, objetivando incentivar e apoiar as editoras independentes da América Latina, este ano, concedeu aos nossos associados condições especiais de participação no evento, que incluem desconto em passagem aérea, hospedagem e uma mesa no salão de direitos autorais.

Quatro editoras libreiras estarão no evento:

 

 

Lara Kouzmin-Korovaeff é Editora e Diretora de Arte na Semente Editorial desde 2010. Mestranda em História Social da Cultura – PUC/RJ, pós graduada em Arteterapia e Processos de Criação – UVA/RJ, com especialização pela FGV/RJ no curso Publishing Management e graduada em Design Gráfico pela Universidade Estácio de Sá/RJ. Apaixonada pela vida, pela arte e pela literatura. Acredita, como Dostoiévski, que a beleza salvará o mundo.

 

 

 

Juliana Flores é jornalista, produtora cultural e editora da Aletria. Recentemente idealizou e produziu o projeto CURA – Circuito Urbano de Arte. É diretora de eventos da Libre.

 

 

 

Mariana Warth é graduada em jornalismo e Mestre em Produção editoral pela University of the Arts London, atua no editorial da Pallas e da Pallas Míni com Cristina Warth, sua mãe, com olhar para inovação e qualidade dos livros, valorizando a cultura brasileira e o resgate da herança africana brasileira, foco da Pallas há quase 45 anos. Já lecionou em alguns cursos de pós-graduação e é diretora de relações internacionais da Libre.

 

Raquel Menezes é Doutora em Literatura Portuguesa pela UFRJ, onde também cursou a Graduação e o Mestrado. É editora da Oficina Raquel e acaba de lançar em Portugal a OCA editorial. É Presidente da Libre no biênio 2015-2017.

 

 

 

Camila Perlingeiro é editora da Pinakotheke e da Memória Visual. É uma das fundadoras da Libre e atualmente é suplente do conselho fiscal da entidade.

Programação da 17ª Primavera Literária do Rio de Janeiro

 26 de outubro de 2017 – quinta feira

14h

Sylvia Orthoff: Um Ramalhete De Histórias

Com Cristina Villaça e Antonella Catinari

18h

Martinho da Vila conversa sobre o Rio de Janeiro, crônicas e música

Com Martinho da Vila e mediação de Raquel Menezes

 

27 de outubro de 2017 – sexta feira

16h

Edição e autopublicação

Leandro Müller, Paula Cajaty, Mariana Warth e mediação de Leonardo Cazes

18h

SHOW MUSICAL

Música Exteporânea Brasileira (MEB)

 

 

28 de outubro de 2017 – sábado

11h

O Rio de que temos e o Rio que queremos

Com Alba Zaluar, Orlando Zaccone, Adair Rocha e mediação de Lucas Alvares

14h

Poesia e música: experiências de poetas na música brasileira

Com Mauro Santa Cecília, Bruno Levinson e Zé Rinaldi

16h

A crise política e o poder no Brasil

Com Arnaldo Mourthé, Bernardo Kocher e mediação de Rudolph Hasan

18h

Toda comida tem uma história      

Joana Monteleone, Tatiana Damberg, Pedro Asbeg e mediação de Camila Perlingeiro

 

PROGRAMAÇÃO CULTURAL INFANTIL

ESPAÇO INFANTIL QUINDIM

28 de outubro de 2017 – sábado

10h

Oficina de desenho / Caldo Verde

Daniele Geammal e Bruno Dante (Revan)

12h

Contação de histórias, leitura dramatizada, roda de conversa / Xavier

Carlos Carvalho e Venicio Ribeiro (Gramma)

Oficina de artes

16h

Arte Brasileira para Crianças

Isabel Diegues, Márcia Fortes, Mini Kerti ePriscila Lopes (Cobogó)

18h

Oficina especial Clube Quindim

 

 

 

29 de outubro de 2017 – domingo

11h

Darcy Ribeiro, sempre

Com Paulo Ribeiro, Maria José Latgê e mediação de Jesus Chediak

14h

A poesia está na rua

Slam das Minas, Tupinambá Lambido e mediação de Luiz Guilherme Barbosa

16h

Conservadorismo e retrocesso nos dias de hoje

 José do Nascimento Jr., Andrea Pachá, Wanderley Quedo e mediação de Fernando Molica

18h

Posto, logo existo: literatura em tempos de redes sociais

Cristiane Lisbôa, Crib Tanaka, Ernesto Xavier e mediação de Camila Perlingeiro

 

PROGRAMAÇÃO CULTURAL INFANTIL

ESPAÇO INFANTIL QUINDIM

29 de outubro de 2017 – domingo

10h

Bate-Papo e Lançamento / Não me toca, seu boboca

Andrea Viviana Taubman e Thais Linhares (Aletria)

 

12h

Espetáculo Musical e Jogos Iogues /As Aventuras do Menino Iogue

Antônio Tigre e Gustavo Peres (Memória Visual)

14h

Workshop com o autor /Turma da Página Pirata em Tirinhas

Marcelo Amaral (Bambolê)

 

16h

Contação de Histórias e Oficina de Ilustrações / A Joaninha e a Sombrinha

(Maria Elaine Altoé) / A Caverna do Tempo(Regina Frota) com ilustrações de Fran Junqueira (Semente)

 

18h

Oficina Especial Clube Quindim

17ª Primavera Literária do Rio de Janeiro

De casa nova, a Primavera Literária Rio 2017 vai ocupar a histórica Casa França-Brasil, entre os dias 26 a 29 de outubro de 2017, de 10 às 20h.

A casa, hoje um dos mais conceituados museus da cidade, é uma construção dos tempos de D. João VI, projetada pelo arquiteto francês Grandjean de Montigny (1776-1850), e inaugurada em 1820 como a primeira Praça do Comércio do Rio de Janeiro.

A Primavera Literária, o mais tradicional das editoras independentes no Brasil, é um evento que contribui para a movimentação da atividade econômica do setor editorial, para a democratização da leitura e para a discussão de políticas públicas para Livro e da Leitura. É um evento promovido pela Libre – Liga Brasileira de Editoras, que tem como objetivo principal a promoção da bibliodiversidade.

Haverá programação cultural com temáticas efervescentes, Martinho da Vila nos visitará para um bate papo sobre Rio de Janeiro, crônicas e samba e as crianças serão contempladas com o Espaço Infantil Clube Quindim estreando na Primavera Literária. O Clube Quindim é um clube de assinaturas de livros infantis que tem, entre seus curadores, nomes especiais como Ziraldo, Adriana Calcanhotto e Marina Colasanti. O Espaço Infantil Clube Quindim terá contações de histórias e muitas outras atrações.

Acesse a programação completa da 17ª Primavera Literária.

Para acompanhar as notícias da Primavera Literária do Rio de Janeiro, curta a gente no Facebook.

A Primavera conta com apoio dos parceiros: Bibliomundi, Meta Brasil, Publishnews, SEC-RJ & Casa França-Brasil, MetaBooks e Clube Quindim

Primavera Literária de BH 2017

A 3ª edição da Primavera Literária de Belo Horizonte reunirá o mercado editorial independente no Centro de Referência da Juventude de 14 a 17/9.
Este ano, o FLI-BH (Festival Internacional de Literatura de Belo Horizonte) retoma a bem-sucedida parceria iniciada em 2015 com a Primavera Literária da Libre, feira de livros que reúne 45 editoras da entidade e convidadas.
O FLI-BH é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura (FMC) em parceria com a terceira edição da Primavera Literária. O evento conta ainda com a parceria cultural do Sesc em Minas Gerais e do BDMG Cultural.
Com o tema Vozes de Todos os Cantos, a segunda edição do FLI-BH propõe trazer à cena a diversidade que a literatura expressa reunindo grupos que movimentam a cena literária na cidade e em diferentes partes do mundo. O festival homenageia a escritora mineira Laís Corrêa de Araújo, personalidade influente no meio literário, que se configura como uma grande intelectual brasileira, pesquisadora, ficcionista, tradutora e ensaísta.
Serviço:
2ª Festival Literário Internacional – FLIBH e 3ª Primavera Literária
De 14 e 17 de setembro
Centro de Referência da Juventude – CRJ (Praça da Estação, s/n, Centro, BH)
Toda a programação é gratuita

ESPAÇO LIBRE NA 18ª BIENAL DO LIVRO DO RIO DE JANEIRO

Em parceria com a Meta Solutions, a Libre – Liga Brasileira de Editoras comparece 18ª Bienal do Livro do Rio de Janeiro, de 31 de agosto a 10 de setembro de 2017.

Esta ação ratifica o propósito da entidade, com a certeza de que a presença de editoras independentes neste evento é uma iniciativa importante para, além de ofertar ao público leitor uma quantidade de títulos ainda maior, promover bibliodiversidade.

O Espaço Libre fica no Pavilhão Verde, entre o espaço de atividades infantis ENTRELETRAS e o espaço do livro digital e conta com confortável área de convivência, onde serão realizados diversos lançamentos, e estandes com as editoras Andrea Jakobsson, Ibis Libris, Jaguatirica, Oficina Raquel, Malê, Mourthé, Pinakotheke e Vermelho Marinho.

No dia 1º de setembro, de 10h a 12h haverá uma apresentação da Meta Solutions no Espaço Libre voltada para editores.

 

Serviço:

18ª Bienal do Livro do Rio de Janeiro

Rio Centro – Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca

Entrada: R$ 24,00 (inteira), R$ 12,00 (meia)

Espaço Libre

Pavilhão verde, entre as ruas ‘n’ e ‘o’

31 de agosto a 10 de setembro de 2017

10 horas a 21 horas

 

PRÊMIO LIBRE PELA BIBLIODIVERSIDADE

A Comissão organizadora do Prêmio Libre pela Bibliodiversidade informa que a obra “Uma sociologia da edição independente” (número 7605, José Muniz) é a vencedora da edição 2018.

 

José de Souza Muniz Jr. é doutor em Sociologia, mestre em Ciências da Comunicação e bacharel em Comunicação Social-Editoração pela Universidade de São Paulo (USP). É professor e pesquisador do Departamento de Linguagem e Tecnologia e do bacharelado em Letras – Tecnologias da Edição do CEFET-MG, em Belo Horizonte.

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

A Libre – Liga Brasileira de Editoras, entidade representantes das pequenas e médias editoras independentes do Brasil, em parceira com a AIEI – Aliança Internacional de Editores Independentes, tem a honra de lançar o 1º Prêmio Libre pela Bibliodiversidade, patrocinado pelas Bibliomundi e Meta Brasil, empresas que trabalham seriamente pelo progresso de nosso setor editorial.

O prêmio visa congratular um ensaio inédito acerca de temas relativos à bibliodiversidade, aqui entendida como um complexo e autossustentável sistema de contar e fazer circular histórias, escrever, publicar e de outras formas de produção da oratura e da literatura, em que a palavra contribua com um ecossistema social, diversificado e saudável.

Com essa iniciativa esperamos somar forças e prática ao cadeira do livro e da leitura. Contamos com a divulgação e participação máxima de vocês.

A inscrição para o Prêmio, incluindo o envio do arquivo, será virtual, no link: www.bibliodiversidade.bibliomundi.com

O formulário de inscrição encontra-se no anexo I do edital do prêmio.

Obras habilitadas

Edital de Abertura Retificado (08/06/2018)

Edital de Abertura Retificado (25/04/2018)

Edital de Abertura Retificado (02/03/2018)

Edital de Abertura Retificado (07/11/2017)

Edital de abertura (9/8/2017)

Cronograma:

ETAPA

DATA

Início das inscrições

10/08/2017

Encerramento das inscrições

15/05/2018

Divulgação das obras habilitadas

30/05/2018

Divulgação do resultado final

01/08/2018

Outras informações, acesse o edital.

Participem!

PROGRAMAÇÃO CASA LIBRE & NUVEM DE LIVROS NA FLIP 2017

CASA LIBRE & NUVEM DE LIVROS

DE 27 A 30 DE JULHO DE 2017

Rua da Lapa, 8 – Centro Histórico – Paraty – RJ

Quinta feira: a partir das 13h

Sexta e sábado: de 10h às 23h

 

QUINTA FEIRA 27 DE JULHO

13h – Os muitos caminhos para a leitura

Josélia Aguiar, Marifé Boix-Garcia, Volnei Canônica e apresentação de Raquel Menezes

15h – Lançamento: Aqui jazem romances, de Eduardo Frota, Ed. Jaguatirica + Lançamento: Jantar às 11, de Cristiano Deveras, Ed. Nova Alexandria

18h – Educação social e livros

Lázaro Ramos, Roger Mello e mediação de Mariana Warth

 

SEXTA FEIRA 28 DE JULHO

10h – Leitura do sagrado e da sociedade

Frederico Lourenço e mediação de Carlo Carrenho

11h – As mídias sociais e a formação dos leitores

Renata Nakano, Emília Nunes e Simone Monteiro

12h30 – Lançamento: A feira, de Adriana Armony, Ed. 7 letras

14h – Lançamento: Augusto Boal embaixador do teatro, de Anderson Zanetti, Estado, democracia, políticas públicas e direitos LGBT, de Marcio Sales Saraiva e Santificado seja vosso homem, de Luis Gustavo Rocha, Ed. Metanóia

16h – Leitura e comunidade

Thássio Ferreira, André Mansur e mediação de Valéria Martins

18h – Literatura no cárcere e direitos humanos

João Marcos Buch, Gabriel Lacerda e Alex Giostri

20h – PAINEL ESPECIAL ONU/CENTRO RIO+ Territórios criativos: A Baixada Fluminense

Yolly Amâncio, Da Gahma + Cine debate com o documentário da ONU “Baixada nunca se rende” e mediação de Layla Saad

SÁBADO 29 DE JULHO

11h – Blogsfera e livros mudam um sociedade em ponto de inflexão?,

Paulo Henrique Amorim e Mino Carta

12h – Lançamento: Eudora Trans, de Luiz Prata, Assexualidade em trânsito, de Luigi D’Andrea, Transfeminismo – teoria & prática e homofobia – identificar e prevenir, de Jaqueline Gomes de Jesus, Ed. Metanóia

14h – Lançamento: Negro amor, de Cristiane Sobral, Ed. Malê + Lançamento: Vida e Morte de M J Gonzaga de Sá de Lima Barreto, organização e comentários de Marcos Scheffel

16h – A crônica como convite ao leitor

Dedé Laurentino, Xico de Sá e mediação de Metthew Shirts

18h – Experiência e leitura

Conceição Evaristo, Cadão Volpato e mediação de Simone Magno

20h – Lançamento: Ponciá Vicencio e Becos da memória, de Conceição Evaristo, Ed. Pallas + Lançamento da cerveja Conceição Evaristo

CASA LIBRE & NUVEM DE LIVROS NA FLIP 2017

[av_textblock size=” font_color=” color=”]

A LIBRE – Liga Brasileira de Editoras, entidade representante das editoras independentes do Brasil, e a Nuvem de Livros, biblioteca virtual de acesso por assinatura que reúne títulos de inúmeras editoras e outros conteúdos, confirmam sua participação na 15ª edição da Festa Literária de Paraty – FLIP 2017, de 27 a 30 de julho de 2017, selando a bem sucedida parceria iniciada em 2014.
 
Em 2015, a Casa LIBRE & Nuvem de Livros é acolhida pela programação oficial e chega a 2017 com um histórico de três edições bem sucedidas. Desde o início, a casa consolida o compromisso de projetar questões demandadas pela atualidade, e o público comparece ao chamado para discutir tantos que são os pontos nevrálgicos que rodeiam a vivência em comunidade democrática.
 
Este ano, a programação reflete sobre o Sim, outro país é possível. E a leitura com isso?. Haverá mesas durante três dias de programação que dialoga sobre o papel e o lugar da leitura no projeto de desenvolvimento do país. Contaremos com as presenças ilustres de Conceição Evaristo, Xico de Sá e Paulo Henrique Amorim entre outros importantes nomes.
 
A leitura, como grande interrogação da Casa LIBRE & Nuvem de Livros na FLIP 2017, é o ponto chave para resistir à necessidade e à expectativa com o novo Brasil que a cada dia, a cada leitura nossa, é desenhado. Que haja consciência de quê e como lemos e de quanto vale nossa leitura [de palavras, de silêncios, de mundos, de vida] é o desejo da LIBRE e da Nuvem de Livros para os que adentrarem a casa.
 
Esperamos você lá!
Parceiros:

[/av_textblock]