, ,

Programação da 17ª Primavera Literária do Rio de Janeiro

26 de outubro de 2017 – quinta feira

14h

Sylvia Orthoff: Um Ramalhete De Histórias

Com Cristina Villaça e Antonella Catinari

18h

Martinho da Vila conversa sobre o Rio de Janeiro, crônicas e música

Com Martinho da Vila e mediação de Raquel Menezes

 

27 de outubro de 2017 – sexta feira

16h

Edição e autopublicação

Leandro Müller, Paula Cajaty, Mariana Warth e mediação de Leonardo Cazes

18h

SHOW MUSICAL

Música Exteporânea Brasileira (MEB)

 

 

28 de outubro de 2017 – sábado

11h

O Rio de que temos e o Rio que queremos

Com Alba Zaluar, Orlando Zaccone, Adair Rocha e mediação de Lucas Alvares

14h

Poesia e música: experiências de poetas na música brasileira

Com Mauro Santa Cecília, Bruno Levinson e Zé Rinaldi

16h

A crise política e o poder no Brasil

Com Arnaldo Mourthé, Bernardo Kocher e mediação de Rudolph Hasan

18h

Toda comida tem uma história      

Joana Monteleone, Tatiana Damberg, Pedro Asbeg e mediação de Camila Perlingeiro

 

29 de outubro de 2017 – domingo

11h

Darcy Ribeiro, sempre

Com Paulo Ribeiro, Maria José Latgê e mediação de Jesus Chediak

14h

A poesia está na rua

Slam das Minas, Tupinambá Lambido e mediação de Luiz Guilherme Barbosa

16h

Conservadorismo e retrocesso nos dias de hoje

 José do Nascimento Jr., Andrea Pachá, Wanderley Quedo e mediação de Fernando Molica

18h

Posto, logo existo: literatura em tempos de redes sociais

Cristiane Lisbôa, Crib Tanaka, Ernesto Xavier e mediação de Camila Perlingeiro

,

17ª Primavera Literária do Rio de Janeiro

De casa nova, a Primavera Literária Rio 2017 vai ocupar a histórica Casa França-Brasil, entre os dias 26 a 29 de outubro de 2017, de 10 às 20h.

A casa, hoje um dos mais conceituados museus da cidade, é uma construção dos tempos de D. João VI, projetada pelo arquiteto francês Grandjean de Montigny (1776-1850), e inaugurada em 1820 como a primeira Praça do Comércio do Rio de Janeiro.

A Primavera Literária, o mais tradicional das editoras independentes no Brasil, é um evento que contribui para a movimentação da atividade econômica do setor editorial, para a democratização da leitura e para a discussão de políticas públicas para Livro e da Leitura. É um evento promovido pela Libre – Liga Brasileira de Editoras, que tem como objetivo principal a promoção da bibliodiversidade.

Haverá programação cultural com temáticas efervescentes e as crianças serão contempladas com o Espaço Infantil Clube Quindim estreando na Primavera Literária. O Clube Quindim é um clube de assinaturas de livros infantis que tem, entre seus curadores, nomes especiais como Ziraldo, Adriana Calcanhotto e Marina Colasanti. O Espaço Infantil Clube Quindim terá contações de histórias e muitas outras atrações.

Acesse a programação completa da 17ª Primavera Literária.

Para acompanhar as notícias da Primavera Literária do Rio de Janeiro, curta a gente no Facebook.

A Primavera conta com apoio dos parceiros: Bibliomundi, Meta Brasil, Publishnews, SEC-RJ & Casa França-Brasil, MetaBooks e Clube Quindim

,

Primavera Literária de BH 2017

A 3ª edição da Primavera Literária de Belo Horizonte reunirá o mercado editorial independente no Centro de Referência da Juventude de 14 a 17/9.
Este ano, o FLI-BH (Festival Internacional de Literatura de Belo Horizonte) retoma a bem-sucedida parceria iniciada em 2015 com a Primavera Literária da Libre, feira de livros que reúne 45 editoras da entidade e convidadas.
O FLI-BH é realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Fundação Municipal de Cultura (FMC) em parceria com a terceira edição da Primavera Literária. O evento conta ainda com a parceria cultural do Sesc em Minas Gerais e do BDMG Cultural.
Com o tema Vozes de Todos os Cantos, a segunda edição do FLI-BH propõe trazer à cena a diversidade que a literatura expressa reunindo grupos que movimentam a cena literária na cidade e em diferentes partes do mundo. O festival homenageia a escritora mineira Laís Corrêa de Araújo, personalidade influente no meio literário, que se configura como uma grande intelectual brasileira, pesquisadora, ficcionista, tradutora e ensaísta.
Serviço:
2ª Festival Literário Internacional – FLIBH e 3ª Primavera Literária
De 14 e 17 de setembro
Centro de Referência da Juventude – CRJ (Praça da Estação, s/n, Centro, BH)
Toda a programação é gratuita

ESPAÇO LIBRE NA 18ª BIENAL DO LIVRO DO RIO DE JANEIRO

Em parceria com a Meta Solutions, a Libre – Liga Brasileira de Editoras comparece 18ª Bienal do Livro do Rio de Janeiro, de 31 de agosto a 10 de setembro de 2017.

Esta ação ratifica o propósito da entidade, com a certeza de que a presença de editoras independentes neste evento é uma iniciativa importante para, além de ofertar ao público leitor uma quantidade de títulos ainda maior, promover bibliodiversidade.

O Espaço Libre fica no Pavilhão Verde, entre o espaço de atividades infantis ENTRELETRAS e o espaço do livro digital e conta com confortável área de convivência, onde serão realizados diversos lançamentos, e estandes com as editoras Andrea Jakobsson, Ibis Libris, Jaguatirica, Oficina Raquel, Malê, Mourthé, Pinakotheke e Vermelho Marinho.

No dia 1º de setembro, de 10h a 12h haverá uma apresentação da Meta Solutions no Espaço Libre voltada para editores.

 

Serviço:

18ª Bienal do Livro do Rio de Janeiro

Rio Centro – Av. Salvador Allende, 6555 – Barra da Tijuca

Entrada: R$ 24,00 (inteira), R$ 12,00 (meia)

Espaço Libre

Pavilhão verde, entre as ruas ‘n’ e ‘o’

31 de agosto a 10 de setembro de 2017

10 horas a 21 horas

 

,

PRÊMIO LIBRE PELA BIBLIODIVERSIDADE

PRÊMIO LIBRE PELA BIBLIODIVERSIDADE

A Libre – Liga Brasileira de Editoras, entidade representantes das pequenas e médias editoras independentes do Brasil, em parceira com a AIEI – Aliança Internacional de Editores Independentes, tem a honra de lançar o 1º Prêmio Libre pela Bibliodiversidade, patrocinado pelas Bibliomundi e Meta Solutions, empresas que trabalham seriamente pelo progresso de nosso setor editorial.

O prêmio visa congratular um ensaio inédito acerca de temas relativos à bibliodiversidade, aqui entendida como um complexo e autossustentável sistema de contar e fazer circular histórias, escrever, publicar e de outras formas de produção da oratura e da literatura, em que a palavra contribua com um ecossistema social, diversificado e saudável.

Com essa iniciativa esperamos somar forças e prática ao cadeira do livro e da leitura. Contamos com a divulgação e participação máxima de vocês.

O formulário de inscrição encontra-se no anexo I do edital do prêmio.

Acesse o edital

Cronograma

Formulário de Inscrição

Festas das editoras independentes no Jabuti

Livros premiados estão à venda na Primavera Literária, edição Rio de Janeiro, no Museu da República, até domingo

Seis editoras independentes associadas à Liga Brasileira de Editoras (Libre) foram agraciadas com o 57º prêmio Jabuti, o mais importante prêmio literário do Brasil — Alameda Casa Editorial, Cosac Naify, Pallas e Pallas Míni, Terceiro Nome e Balão Editorial. A cerimônia que anunciou os vencedores de 2015 aconteceu na última quinta-feira (3/12), no auditório do Ibirapuera, em São Paulo.
 
Publicado pela Alameda Casa Editorial, ‘A casa da vovó: uma biografia do DOI-Codi (1969-1991), o centro de sequestro, tortura e morte da ditadura militar’, do jornalista Marcelo Godoy, venceu como livro do ano, na categoria não ficção. ‘A casa da vovó’ é um livro-reportagem que mostra como operava o DOI-Codi, órgão de repressão para onde eram levados e onde sofriam torturas inimigos do regime durante a ditadura militar.
O Jabuti premia os três primeiros colocados em cada categoria. As editoras independentes também foram contempladas com os seguintes prêmios:
Contos e Crônicas – 2º Lugar – Dez Centímetros Acima do Chão – de Flavio Cafiero – Cosac Naify; 3º Lugar – Olhos D’água – de Conceição Evaristo – Pallas Editora. Gastronomia – 1º Lugar – Gente do Mar – Vida e Gastronomia dos Pescadores Brasileiros – de Ricardo Maranhão – Terceiro Nome. Ilustração – 2º Lugar – Lobisomem sem Barba – Ilustrador(a): Wagner Willian – Balão Editorial. Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil – 1º Lugar – A Força da Palmeira– Ilustrador(a): Anabella López – Pallas Míni. Romance – 2º Lugar – Caderno de um Ausente – de João Anzanello Carrascoza – Cosac Naify.
 
A Primavera Literária vai até domingo (6/12), no Museu da República, com a participação de 100 editoras independentes, mais de 15 mil títulos à venda e descontos de até 50%. O horário é das 10h às 21h.

Festas das editoras independentes no Jabuti

Livros premiados estão à venda na Primavera Literária, edição Rio de Janeiro, no Museu da República, até domingo

Seis editoras independentes associadas à Liga Brasileira de Editoras (Libre) foram agraciadas com o 57º prêmio Jabuti, o mais importante prêmio literário do Brasil — Alameda Casa Editorial, Cosac Naify, Pallas e Pallas Míni, Terceiro Nome e Balão Editorial. A cerimônia que anunciou os vencedores de 2015 aconteceu na última quinta-feira (3/12), no auditório do Ibirapuera, em São Paulo.
 
Publicado pela Alameda Casa Editorial, ‘A casa da vovó: uma biografia do DOI-Codi (1969-1991), o centro de sequestro, tortura e morte da ditadura militar’, do jornalista Marcelo Godoy, venceu como livro do ano, na categoria não ficção. ‘A casa da vovó’ é um livro-reportagem que mostra como operava o DOI-Codi, órgão de repressão para onde eram levados e onde sofriam torturas inimigos do regime durante a ditadura militar.
O Jabuti premia os três primeiros colocados em cada categoria. As editoras independentes também foram contempladas com os seguintes prêmios:
Contos e Crônicas – 2º Lugar – Dez Centímetros Acima do Chão – de Flavio Cafiero – Cosac Naify; 3º Lugar – Olhos D’água – de Conceição Evaristo – Pallas Editora. Gastronomia – 1º Lugar – Gente do Mar – Vida e Gastronomia dos Pescadores Brasileiros – de Ricardo Maranhão – Terceiro Nome. Ilustração – 2º Lugar – Lobisomem sem Barba – Ilustrador(a): Wagner Willian – Balão Editorial. Ilustração de Livro Infantil ou Juvenil – 1º Lugar – A Força da Palmeira– Ilustrador(a): Anabella López – Pallas Míni. Romance – 2º Lugar – Caderno de um Ausente – de João Anzanello Carrascoza – Cosac Naify.
 
A Primavera Literária vai até domingo (6/12), no Museu da República, com a participação de 100 editoras independentes, mais de 15 mil títulos à venda e descontos de até 50%. O horário é das 10h às 21h.

PRIMAVERA LITERÁRIA CHEGA A SP COM DESCONTOS EM LIVROS E PRESENÇAS INTERNACIONAIS

Parque Villa Lobos
Parque Villa Lobos
Depois de ser instalada nos jardins do Museu da República, no Rio de Janeiro, onde conquistou pessoas de todas as idades com uma programação de debates aprofundados sobre a literatura, a realidade política e o papel do livro na sociedade, a Primavera Literária será montada na esplanada do Parque Villa-Lobos, em Pinheiros, no próximo fim de semana (dias 26 e 27/11).
Ao longo do parque, serão montados stands de 31 editoras filiadas à Libre e também de convidadas, que oferecerão no espaço da Primavera Literária mais de mil títulos dos mais variados gêneros literários, de publicações acadêmicas aos livros infantis. Como as vendas serão realizadas diretamente pelas editoras, o público poderá se beneficiar de descontos de no mínimo 20% em relação aos preços praticados nas livrarias.
“Levaremos a São Paulo o desejo de consolidar a Primavera Literária como um evento do calendário da cidade. Fecharemos na cidade um circuito de debates e atrações que já passou por Salvador, Belo Horizonte e pelo Rio de Janeiro, com o desejo de continuidade para o ano que vem”, pondera Raquel Menezes, presidente da Liga Brasileira de Editoras (Libre), entidade que promove o evento.
A programação conta com muitas atrações, além de repercutir uma tendência já apresentada na edição carioca.  Um brasilianista norte-americano apresentará reflexões sobre o momento político e social conturbado que vive o Brasil. No Rio, o convidado foi o francês Jean-Paul Delfino, que participou da mesa “Rio à la française” e abordou os laços culturais entre o Rio de Janeiro e a França, mas também enfatizou que a atual realidade coloca em xeque os valores republicanos, em boa parte absorvidos da cultura francesa, e agora rediscutidos, como o papel do Estado, o caráter da democracia e os limites da liberdade de expressão.
Em São Paulo, o convidado será James Naylor Green, professor da norte-americana Universidade Brown, de Rhode Island. Green viveu no Brasil entre 1976 e 1982, onde desenvolveu pesquisas sobre a sexualidade e as formas de organização política na ditadura militar. Naylor Green leciona “História da América Latina” nessa universidade, onde exerceu a interlocução com pesquisadores brasileiros na “Associação de Estudos Brasileiros”, que tinha como objetivo a discussão dos problemas do Brasil.
Ele participará no sábado (26/11), a partir das 16h, da mesa “Historiadores pela Democracia: o que está em jogo?”, ao lado de Janaína Teles, doutora em História Social pela USP e que, em 1972, foi sequestrada pela Operação Bandeirante aos cinco anos ao lado do irmão Edson. Janaína, que é professora da Fundação Santo André, milita no campo dos Direitos Humanos e da Memória Política, onde se notabilizou ao mover, em 2005 uma ação contra o coronel Brilhante Ustra, morto no ano passado.
A Primavera Literária de São Paulo terá também atrações especiais para o público infantil: No sábado (26/11), a partir das 9h30m. Selma Maria, autora de “ABC da Água”, vai brincar e conversar com as crianças sobre a água e suas variações: bolha de sabão, chuva, gelo, lágrima, suor, orvalho, vapor. No domingo 927/11), também a partir das 9h30m, a editora Thaisa Burani fará a sessão de contação de histórias “Diversidade também é coisa de criança”, apresentando as obras “Monstro Rosa” e “Pássaro Amarelo”, da espanhola Olga de Dios, lançadas no Brasil pela editora Boitatá, selo infantil da Boitempo Editorial. 
Ao final da programação de domingo, a partir das 17h30, haverá show do conjunto cômico “Saco de Gatos”, banda de humor que surgiu no começo dos anos 80 e foi retomada em 2005. Em 2012, a “Saco de Gatos” lançou o CD “Era pra ser vinil”.

A editora Revan lança Raízes da Osteopatia

 
Raízes da Osteopatia: Uma medicina de diagnóstico e terapéutica manual

Raízes da osteopatia
A medicina convencional norte-americana no século XIX utilizava a sangria comumente como terapêutica. Nos anos 60, Still começa sua pesquisa na busca de uma prática curativa em outras bases. Tendo como pressuposto de que a origem das doenças encontrava-se na estrutura humana/anatomia, inicia a busca por uma prática de diagnóstico e tratamento manual.
Após quase duas 2 décadas de pesquisa minuciosa sobre o corpo humano, Still consegue enfim conectar os vários elementos da sua pesquisa. O foco do livro Raízes da Osteopatia é de destrinchar as influências que geraram o pensamento osteopático, trazendo à luz as mudanças pelas quais a medicina americana e ocidental perpassaram no transcorrer da fundação e reconhecimento da Osteopatia como terapêutica.

Dia do Editor põe em diálogo o mercado editorial na véspera da Primavera Literária. Participe!

Promover o Dia do Editor é a nova proposta-desafio da LIBRE para pôr em encontro seus editores, espalhados pelo Brasil, e para reforçar sua missão de defensora do mercado editorial independente e bibliodiversificado em conjunto a um público, de profissionais e leitores, que não compõe a entidade diretamente, mas do qual esta carece para se manter em atividade. O evento terá participação livre e gratuita justamente para motivar a discussão proposta em um plano amplo que contenha desde editores até o público em geral interessado na temática. O  evento acontece dia 16 de novembro de 2016 no auditório do 2º andar do Palácio do Catete. Confira a programação!