Salão do Livro Político promove debates sobre a atualidade brasileira

Primeira edição do evento reúne 15 editoras de 24 a 26 de setembro, em São Paulo


Iniciativa independente de editoras vinculadas às questões sociais, o I Salão do Livro Político acontece de 24 a 26 de setembro na Fundação Escola de Sociologia e Política (FESPSP), com uma programação que inclui palestras, debates, oficinas, além das tradicionais sessões de autógrafos.

Com participação de 15 casas editoriais, que venderão seus livros com até 50% de desconto, o evento surge em momento oportuno, num contexto em que a aridez (ou mesmo o modo raso) como a política tem sido debatida torna pertinente renovadas interpretações de nossa realidade, apontando alternativas que vão na contracorrente dos discursos conservadores, das narrativas tradicionais e da onda reacionária que tem invadido as discussões sobre o tema.

“O avesso do avesso do avesso do que rola por aí” é como a organização do evento tem se posicionado, lema corroborado não só pela composição do acervo de livros que serão expostos ao público, mas também pelos nomes selecionados para as mesas de debates, conferências e autógrafos.
Leonardo Padura, Ladislau Dowbor, Leda Paulani, Sérgio Amadeu, Djamila Ribeiro, Valério Arcary, Alysson Leandro Mascaro e Paulo Henrique Amorim são alguns dos nomes confirmados na programação do evento.

Serviço
I Salão do Livro Político
24 a 26 de setembro, das 11h às 21h (quinta e sexta); das 11h às 20h (sábado)
Fundação Escola de Sociologia e Política
R. General Jardim, 522, Vila Buarque
Editoras participantes: Alameda, Anita Garibaldi, Boitempo, Caros Amigos, Cortez, Editora 34, Expressão Popular, Filoczar, Fundação Mauricio Grabois, Fundação Perseu Abramo, Iskra, Sociologia e Política, Sundermann, Terceiro Nome, Pallas, Veneta.

Programação

24/09 – Quinta-feira (das 11:00 às 21:00h)

15:00 às 17:00h – Palestra: Introdução ao marxismo
Alyssson Leandro Mascaro

17:00 às 17:45h – Lançamentos/autógrafos
Antonio Carlos Mazzeo, Luiz Bernardo Pericás

18:00 às 18:45h – Abertura oficial
Homenagens:
VitoGianotti (póstuma), com participação de  Claudia Santiago
Boitempo Editorial, editora homenageada ao completar 20 anos
Apresentação do Tenor José Corrêa

18:45 às 20:45h – Mesa redonda: Leituras do Brasil (Conjuntura política)
Iuri Tonelo
José Arbex Júnior
Julio Veloso
Valério Arcary

25/09 – Sexta-feira (das11:00 às 21:00h)

11:00 às 11:30h – Apresentação de curtas

11:30 às 12:30h – Palestra: Democracia econômica
Ladislau Dowbor

14:30 às 15:00h – Apresentação de curtas

15:00 às 17:00h – Mesa redonda: Racismo e violência na periferia
Djamila Ribeiro
Marcelo Pablito
Toni C
Wilson Honório da Silva
17:00 às18:30h – Lançamentos/autógrafos
Carlos Bauer, DainisKarepovs

18:00 às 18:30h – Apresentação de curtas

18:30 às 20:30h – Mesa Redonda: Mercado editorial do livro político
Flamarion Maués
Haroldo Ceravolo
Leda Paulani
Waltemir (Miro) Nalles

26/09 – Sábado (das 11:00 às 20:00h)

10:00 às 12:00h – Oficina Arte imediata: a fita crepe como instrumento.
Worney Almeida de Souza

11:00 às 11:30h – Apresentação de curtas

11:30h às 13:30h – Mesa redonda: Mídia monopolizada: a leitura enviesada da realidade
Paulo Henrique Amorin
Renata Mieli
Sergio Amadeu
Wagner Nabuco

13:30 às 14h – Apresentação de curtas

14:00 às 15:30h – Mesa redonda: Literatura na periferia
Helena Silvestre
Maria Vilani
Toni C

15:30 às 16:00 – Lançamentos/autógrafos
Luiz Renato Martins

16:00 às 17:30h – Palestra: Literatura e política
Leonardo Padura
Coordenadora: Isabel Loureiro
Fundação Rosa Luxemburgo

19:00 às 20:00h – Encerramento

MinC lança editais de fomento à leitura na Bienal do Livro

O Ministério da Cultura (MinC), por meio da Diretoria de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), lançará nesta sexta-feira (11), às 16h, na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, dois editais de fomento a iniciativas públicas e privadas que contribuam para a democratização do acesso ao livro e a promoção e valorização da leitura. Os editais, que somam um investimento total de R$ 3,6 milhões, foram publicados no Diário Oficial da União e podem ser consultados nos links ao lado.

Os editais são Prêmio Todos por um Brasil de Leitores 2015 e Apoio ao Circuito Nacional de Feiras de Livros e Eventos Literários 2015. Ambos visam atender as demandas do Plano Nacional de Livro e Leitura em seus quatro eixos de atuação: democratização do acesso; fomento à leitura e formação de leitores; promoção e valorização do livro e seu valor simbólico; e desenvolvimento da economia do livro. As inscrições para os dois editais vão até 26 de outubro.

"O prêmio Todos por um Brasil de Leitores busca dar maior acesso ao livro, à leitura e à formação de profissionais que atuam nessa área. Já o edital de apoio a feiras de livros e eventos literários contribui para a construção da programação, privilegiando os profissionais do livro e da literatura", explica o diretor de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do MinC, Volnei Canônica

Prêmio Todos por um Brasil de Leitores 2015

O prêmio visa reconhecer e apoiar projetos da sociedade civil realizados por pessoas físicas e jurídicas em bibliotecas comunitárias, pontos de leitura e ambientes sociais diversos de promoção da leitura. Outro objetivo é fomentar um banco de boas práticas e tecnologias que estimulem a criação de novos projetos e a ampliação da rede de instituições, profissionais e agentes que atuam no setor. Cada um dos 80 projetos premiados receberá R$ 30 mil, o que representa um investimento total de R$ 2,4 milhões.

Na edição 2015, serão selecionados projetos em duas categorias:
Boas práticas e projetos inovadores em bibliotecas comunitárias e pontos de leitura (50 projetos apoiados)
Iniciativas de promoção da leitura em espaços não formais de leitura (30 projetos apoiados).

Edital de Apoio ao Circuito Nacional de Feiras de Livros e Eventos Literários 2015

O edital é destinado ao apoio de feiras de livros e eventos literários existentes no País, com no mínimo duas edições realizadas, com vistas a ampliar e qualificar a programação cultural dos mesmos. A finalidade é contribuir para a consolidação de um calendário nacional e permanente de feiras e eventos literários nos municípios brasileiros e para a promoção e difusão da literatura brasileira, além de estimular a formação de leitores e o fortalecimento de empreendimentos do setor. A edição de 2015 selecionará o mínimo de 10 eventos a serem realizados entre março de 2016 e fevereiro de 2017.

O valor de apoio do MinC será entre R$ 80 mil a R$ 120 mil por projeto, com contrapartida mínima de 20% do proponente em relação ao valor total apresentado. O Investimento total será de R$ 1,2 milhão.

Bienal do Livro

Após o anúncio dos editais do MinC, Volnei Canônica participa da mesa Feito de homens e livros: a formação de leitores no Brasil, que reunirá autores e especialistas. A Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro mobiliza todo o setor editorial do País. Na última edição, em 2013, foram vendidos mais de 3,5 milhões de livros, com arrecadação de mais de R$ 71 milhões. O evento atrai centenas de profissionais (editores, livreiros, escritores, bibliotecários, promotores de leitura), além do público em geral. A expectativa para este ano é que a Bienal alcance mais de 700 mil visitantes ao longo de sua programação.

(Assessoria de Comunicação – Ministério da Cultura)

Editores independentes são convidados pelo governo alemão para ir à Feira do Livro de Frankfurt

Governo alemão convidou oito profissionais da cadeia produtiva do livro para a Feira do Livro de Frankfurt

No início desse ano, uma comitiva do Ministério das Relações Exteriores da Alemanha esteve na América Latina. Entre os convidados da delegação estava Juergen Boos, presidente da Feira do Livro de Frankfurt. Nesta visita, ficou acertado que o governo alemão iria convidar alguns profissionais brasileiros que atuam na cadeia produtiva do livro para irem, por conta dos alemães, à feira que em 2015 acontece entre os dias 14 e 18 de outubro. Os profissionais brasileiros convidados foram os editores Raquel Menezes (Oficina de Raquel), Cide Piquet (Editora 34) e William Oliveira (Apicuri); os tradutores Luis Krausz e Kristina Michahelles e os autores Noemi Jaffe, Fernando Bonassi e Ricardo Lisias.

Para Raquel Menezes, que também é presidente da Libre, o convite a editores independentes é visto com bons olhos. “Para as editoras independentes participar da Feira do Livro de Frankfurt significa avançar em seu propósito de cada vez mais se fazer presente no mercado editorial. Estamos apostando no início de um novo olhar do mercado para este segmento que tanto tem a oferecer à literatura e à cultura de um modo geral no Brasil. Temos muito para mostrar em Frankfurt. O movimento das independentes está crescendo em todo mundo, a despeito das dificuldades que estas empresas encontram”, observa.

(Publishnews, 1º/09/2015)

Chega ao fim a primeira edição da Primavera da Libre em Salvador

O final de semana reservou muitas surpresas boas para quem foi conferir de perto a primeira edição da Primavera da Libre em Salvador. A feira de livros promovida pela Liga Brasileira de Editoras no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) teve início na quinta-feira (27) e fechou com ‘chave de ouro’ neste domingo (30). Escritores, produtores, artistas, jornalistas e um público formado por crianças, jovens e adultos de todas as idades marcaram presença, comprando livros com descontos, assistindo bate-papo entre autores sobre temas referentes à literatura contemporânea, história e mercado editorial e participando de oficinas e intervenções.

No sábado o destaque foi para as duas oficinas realizadas pela artista urbana Vanessa Rosa, que veio do Rio especialmente para participar da Feira: “Para pensar ilustrações de livros” e “Azulejos imaginários”. Esta segunda, além dos resultados da oficina, gerou também uma belíssima intervenção da artista em um mural exposto no Pátio dos Flamboyants. Com os Azulejos Imaginários, Vanessa propõe uma interpretação dos tradicionais azulejos portugueses através de pintura e novas tecnologias.

O domingo começou de maneira especial, com a presença da Iyalorixá do Terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, Maria Stella de Azevedo dos Santos, Mãe Stella de Oxossi. A autora dos livros “E daí aconteceu o encanto”, “Meu tempo é agora”, “Òsòsi, o caçador de alegrias”, “Òwe-Provérbios”, “Epé Laiyé, terra viva” e “Opinião” dividiu a Mesa com a também escritora Graziela Domini, autora dos livros: “Papai Noel Existe, Mamãe?”,  “A Dama de Branco” , “Sabedoria do Povo”  e “O Que As Folhas Cantam”, em co-autoria com a Iyalorixá Mãe Stella.

Também pela amanhã aconteceu a primeira oficina do dia, de construção de Abayomi com o Grupo Ereoatá. À tarde foi a vez da escritora Tamires Lima ministrar a oficina de construção de brinquedos populares, seguida do lançamento do seu livro, “Fabrincando”.  Dezenas de crianças participaram da oficina e saíram felizes com seus aviõezinhos.

A tarde de domingo reservou ainda mais um importante momento, com a Mesa formada pelos escritores Antônio Risério e Gustavo Falcón. Poeta e ensaísta, Risério elaborou o projeto geral para a implantação do Museu da Língua Portuguesa (São Paulo) e do Cais do Sertão Luiz Gonzaga (Pernambuco). E escreveu, entre outros, os livros “Carnaval Ijexá”, “Avant-garde na Bahia”, “A utopia brasileira e os movimentos negros”, “A cidade no Brasil” e “Mulher, casa e cidade”. Já o doutor em História Social, Gustavo Falcón, é também professor de Sociologia, Jornalista e autor de “Os Coronéis do Cacau” e “Do reformismo à luta armada”. Editor, dirigiu a Editora da UFBA, a Revista da Bahia e colaborou em várias publicações culturais. Especialista em programas governamentais, colabora semanalmente com os sites Gazeta dos Buzios e Todabahia.

Com o patrocínio do BNDES e Ministério da Cultura, além do apoio do Hotel Sol Victoria Marina, Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), Instituto do Patrimônio Artístico Cultural da Bahia (IPAC), Fundação Pedro Calmon e Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, a Primavera da Libre é uma realização da Liga Brasileira de Editoras, maior rede de editoras independentes do mundo, com 130 associadas de todas as partes do País.

(Fonte: Diga, Bahia)

Colóquio Internacional “Conteúdos digitais em biblioteca” de 1 a 2 de setembro na Biblioteca Parque Estadual

Conteúdos digitais em biblioteca
Inovações de mercado, práticas profissionais de mediação e desafios ligados à inserção no território

Brasil – Alemanha – França

Goethe-Institut, a Embaixada da França no Brasil, Governo do Rio de Janeiro e Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro convidam para o colóquio internacional Conteúdos digitais em biblioteca na Biblioteca Parque Estadual.

O colóquio internacional Conteúdos digitais em biblioteca visa refletir sobre o papel da biblioteca digital como mais uma ferramenta para dinamizar o acesso ao livro. As palestras abordarão o futuro digital e os desafios da nova realidade nas bibliotecas alemãs, francesas e brasileiras. Os aspectos jurídicos nos diferentes modelos de negócio de e-books (acesso perpétuo, assinatura e pay-per-view) e o direito autoral na era digital serão igualmente abordados. Propõe-se também uma reflexão sobre os dilemas entre os avanços tecnológicos e os desafios sociais existentes nas cidades e seus espaços de segregação social e territorial, que ao mesmo tempo se mostram cada vez mais conectados e como um nicho maior de leitura digital. Entre outras questões, serão abordadas as melhores formas de entender a atividade de incentivo à leitura e fazê-la produtiva e em harmonia com as novas formas do saber, na chamada era digital.

1 DE SETEMBRO | Terça-feira

11h00-11h30 | Credenciamento

11h30-12h00 | Abertura
Luciana Soares – Diretorada Biblioteca Parque Estadual
Harald Klein – Cônsul-geral da Alemanha no Rio de Janeiro
Brice Roquefeuil – Cônsul-geral da França no Rio de Janeiro
Eva Doris Rosental – Secretária de Estado de Cultura – RJ

Primeiro grupo de palestras | INOVAÇÃO
Refletir sobre o papel da biblioteca digital como mais uma ferramenta para dinamizar o acesso ao livro. Como equipamento cultural, as bibliotecas precisam estar constantemente se atualizando para suprir as tendências e novidades em termos de plataformas virtuais. A ideia é discutir sobre as tecnologias e tendências tecnológicas da França, Alemanha e Brasil.

12h00-13h30
O acesso à leitura como política pública: tradição e inovação tecnológica
JOSÉ CASTILHO MARQUES NETO – Professor doutor da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho e secretário executivo do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) – MinC
Um livro é um livro: direitos iguais para o impresso e o digital
BARBARA SCHLEIHAGEN – Presidente da Associação Alemã de Bibliotecas (dbv)
MEDIAÇÃO: Beatriz Resende

13h30-14h30 | Almoço

Segundo grupo de palestras | MEDIAÇÃO DIGITAL
O fomento à leitura é tema constante e atual, mas qual papel assume uma mediação de leitura na chamada era digital? É possível trabalhar ou formar mediadores de leitura digitais? O ponto em questão aqui é abordar quais as melhores formas de entender essa atividade e fazê-la produtiva e em harmonia com as novas formas do saber.

14h30-16h00
Manati digital: relato sobre a experiência de edição de livros infantis
BIA HETZEL – Escritora e fotógrafa. Recebeu o Prêmio Jabuti de Autor Revelação; o selo de qualidade "White Ravens"da Biblioteca Internacional de Munique e o Prêmio "O melhor para a criança", da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil (FNLIJ).
E-Mídias na Biblioteca Pública de Bremen – um relato prático
INGE EMSKÖTTER – Bibliotecária e gerente do setor de mídias da Biblioteca Pública de Bremen (Alemanha)
MEDIAÇÃO: Nanci Nóbrega

16h00-16h30 | Intervalo

16h30-18h00
As editoras independentes e  mercado digital
RAQUEL MENEZES – Doutoranda em Literatura Portuguesa pela UFRJ, presidente da Liga Brasileiras de Editores (LIBRE) e editora da OficinaRaquel
Para novas formas de mediação na França: o caso da BPI e das bibliotecas Públicas de Bordeaux
MÉLANIE ARCHAMBAUD – Gerente do setor "Nova Geração, Bibliothèque Publicque d'Information de Paris e futura responsável pela cooperação da rede de bibliotecas públicas de Bordeaux
MEDIAÇÃO: Ilana Strozenberg

2 DE SETEMBRO | Quarta-feira

11h-11h30 | Credenciamento

Terceiro grupo de palestras | INOVAÇÃO

11h30-13h00
As bibliotecas físicas transformar-se-ão em espaços simbólicos?
ROBERTO BAHIENSE DE CASTRO – CEO da Biblioteca Virtual Nuvem de Livros. Dirigiu importantes agências de publicidade, tendo presidido a Associação Brasileira de Propaganda (ABP). Dirigiu destacados veículos de comunicação, como Jornal do Brasil e Gazeta Mercantil.
O posicionamento do editor: entre conservadorismo e inovação
GILLES COLLEU – Diretor de produção e desenvolvimento digital da editora Actes Sud, co-diretor da editora Vents d'Ailleursm com Jutta Hepke, e co-fundador do Laboratório Digital da Aliança Internacional dos Editores Independentes
MEDIAÇÃO: Helene Aguiar

13h00-14h00 | Almoço

Quarto grupo de palestras | PERIFERIAS?
O conceito de perfiferia, construído socialmente no final do século XX, vem perdendo significativamente seu sentido. Mas os novos processos de produção do espaço urbano implicam ainda na segregação social e espacial, agora feita de tramas, bem mais enredadas e complexas. Como o avanço da tecnologia se coloca frente a estes diferentes espaços e sujeitos? Este tema busca trazer estes contrastes ä tona, debater o avanço da leitura digital e tentar entender até que ponto a biblioteca digital é uma realidade em cidades tão complexas, com dilemas sociais ainda tão evidentes e de que modo a leitura digitalse coloca com e apesar de tudo isso.

14h00-15h30
Culturas urbanas, territorialidades e tecnologia
JORGE LUIZ BARBOSA – Diretor do Observatório de Favelas e professor doutor da Universidade Federal Fluminense (UFF)
Como atingir os públicos distantes? Relatório de experiências francesas: a BPI e as bibliotecas públicas de Bordeaux
MÉLANIE ARCHAMBAUD – Gerente do setor "Nova Geração, Bibliothèque Publicque d'Information de Paris e futura responsável pela cooperação da rede de bibliotecas públicas de Bordeaux
MEDIAÇÃO: Alexandre Pimentel

15h30-16h00 | Intervalo

16h00-17h30
O leitor online
ÉCIO SALLES – Autor de Poesia revoltada (um estudo sobre a cultura hip-hop no Brasil) e co-autor de História e Memória de Vigário Geral. Um dos criadores e organizadores da Festal Literária das Periferias (FLUPP)
Publicar nas margens: e se o futuro do livro digital?
GILLES COLLEU – Diretor de produção e desenvolvimento digital da editora Actes Sud, co-diretor da editora Vents d'Ailleursm com Jutta Hepke, e co-fundador do Laboratório Digital da Aliança Internacional dos Editores Independentes
MEDIAÇÃO: Vera Schroeder

Serviço
Colóquio Internacional
1 e 2 de setembro de 2015
Biblioteca Parque Estadual
Auditório Darcy Ribeiro
Av. Presidente Vargas, 1.261 – Centro
Rio de Janeiro
Palestras em português, alemão e francês
Tradução simultânea
Serão conferidos certificados de participação
Entrada franca [mediante inscrição prévia]
Mais informações e inscrições gratuitas:

coloquiointernacional@cultura.rj.gov.br

Primavera da Libre chega a Salvador com programação para toda a família

Feira literária da Liga Brasileira de Editoras (Libre) terá lançamentos de livros, encontros com autores, saraus e programação infantil. De 27 a 30 de agosto, no MAM. Os livros terão até 50% de desconto. A entrada e toda a programação são gratuitas.

A Primavera da Libre terá sua primeira edição em Salvador, no Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM), de 27 a 30 de agosto. A feira literária promovida pela Liga Brasileira de Editoras (Libre) nasceu no Rio de Janeiro, em 2001, como Primavera dos Livros, e este ano chega a Salvador. Além da feira de livros, a programação terá mesas de debate, encontros com autores, lançamentos e Sarau Pós Lida. Para as crianças, contação de histórias e oficinas de arte.

Veja aqui a programação completa

O evento é um espaço cultural onde as editoras mostram suas produções e interagirem com o público para discutir o livro e a leitura. Entre os nomes confirmados para participar da Primavera da Libre estão Mãe Stella de Oxóssi, Gil Velloso, Victor Mascarenhas, Sonia Rangel, Gustavo Falcón, Tamires Lima e Antonio Risério, entre outros. A entrada e toda a programação são gratuitas.

Maior feira literária independente do Brasil e uma das mais expressivas do gênero no mundo, a Primavera da Libre reunirá na edição baiana 38 editoras, com títulos que estarão com descontos de até 50%.  A diversidade dará o tom da feira e da programação literária, a partir da variedade de gêneros editados pelas editoras associadas à Libre.

“A realização da Primavera da Libre em Salvador é mais um passo importante que damos na direção da literatura de qualidade. A Libre pretende marcar cada vez mais presença na Bahia. Com uma cultura que remete às raízes brasileiras, o estado tem muito a contribuir para o avanço da bibliodiversidade, importante conceito que promove a pluralidade na literatura e é uma das principais bandeiras das editoras independentes”, explica Raquel Menezes, presidente da Liga Brasileira de Editoras.

As mesas temáticas serão: ‘O mercado editorial e os novos horizontes, ‘Literatura urbana e contemporânea’ e ‘A literatura infantil e a formação de leitores’. A importância da Primavera da Libre, uma das pioneiras entre as feiras literárias no País, é reconhecida no meio literário por autores, editores, ilustradores, críticos, jornalistas, indústria gráfica, distribuidores e livreiros. A ‘Primavera’ fidelizou um público ávido por livros nem sempre disponíveis nas livrarias e tem atraído cada vez mais leitores.

A última edição da Primavera no Rio de Janeiro, em 2014, recebeu cerca de 40 mil pessoas nos jardins do Museu da República, no Catete, um bairro de forte tradição política e cultural. Já passaram pela Primavera nomes como Roger Chartier, Heloisa Buarque de Holanda, Paulo Lins, Ruy Castro, Luiz Eduardo Soares, Mirian Goldenberg, Vik Muniz, Ondjaki e Alessandro Buzzo, entre outros.

LIBRE
A Liga Brasileira de Editoras (Libre) é a maior rede de editoras independentes do mundo, com 130 associadas de todas as partes do País. Constituída em 2002, tem como principais objetivos atuar pelos interesses das independentes e buscar espaços para discutir o livro e a leitura. A Libre é associada à Aliança Internacional dos Editores Independentes.

Desde 2001, a Libre realiza no Rio de Janeiro a Primavera da Libre, feira literária que oferece ao público títulos a preços acessíveis. Chegou a São Paulo, em 2003, e este ano, a feira já foi realizada em junho em Belo Horizonte e agora em Salvador. A Libre também promove a Primaverinha dos Livros, para crianças, no Rio de Janeiro.

Serviço
PRIMAVERA DA LIBRE
Feira literária com descontos de até 50%. Programação paralela: lançamentos de livros, encontros com escritores, debates e atividades para crianças
Realização: Liga Brasileira de Editoras (Libre)
Quando: dias 27, 28, 29 e 30 de agosto – Períodos matutino e vespertino
Onde: Museu de Arte Moderna da Bahia (MAM) – Solar do Unhão – Av. Contorno
Para todas as idades
A entrada e a participação nos eventos são gratuitas
Acesse:  www.libre.org.br

Inscrições abertas para o Prêmio Literário Biblioteca Nacional

Estão abertas, até o dia 10 de setembro, as inscrições para o Prêmio Literário Biblioteca Nacional em nove categorias: Conto; Ensaio Literário; Ensaio Social; Literatura Infantil; Literatura Juvenil; Poesia; Projeto Gráfico; Romance e Tradução.

Poderão participar brasileiros natos ou naturalizadas – autores, tradutores e projetistas gráficos- que possuam obras redigidas em língua portuguesa e publicadas por editoras brasileiras. Serão aceitas inscrições da mesma obra em, no máximo, duas categorias, onde uma obrigatoriamente deve ser de Projeto Gráfico.

Os prêmios contemplarão as obras, em primeira edição, publicadas e impressas no período de 1º de maio de 2014 a 30 de abril de 2015, que estejam em dia com a Lei do Depósito Legal (Lei 10.994, de 14 de dezembro de 2004) e que possuam número de registro ISBN (International Standard Book Number) válido no Brasil. Não será aceita a inscrição da obra cuja data de publicação esteja fora do período.

As inscrições são gratuitas e devem ser feitas, exclusivamente, por via postal, inclusive para os residentes no Rio de Janeiro e deverão ser encaminhadas para o seguinte endereço:

Prêmio Literário 2015
Fundação Biblioteca Nacional
Rua da Imprensa, 16 – 11º andar – sala 1110.
Palácio Gustavo Capanema
Centro – Rio de Janeiro – RJ
20030-120

O edital estipula ainda que as inscrições por intermédio de editoras serão permitidas como forma de assistência ao autor e apenas mediante autorização por escrito dele, que deverá ser anexada à ficha de inscrição.  Obras publicadas com o apoio da Fundação Biblioteca Nacional ou coeditadas pela instituição não poderão ser inscritas. Leia aqui o edital completo.

O autor ou tradutor da obra selecionada em primeiro lugar de cada categoria será contemplado com o prêmio em espécie no valor bruto de R$ 30 mil sujeito aos descontos previstos por lei.

No caso de livro com mais de um autor, a inscrição deve ser feita apenas por um deles. Caso a obra seja vencedora, caberá aos autores, de acordo com contrato editorial, a divisão do prêmio. Os livros que fizerem parte de Coleção poderão ser inscritos individualmente.

Critérios como qualidade literária, originalidade e contribuição à cultura nacional serão analisados em cada uma das obras inscritas.

(Assessoria de Comunicação – com informações da Fundação Biblioteca Nacional Ministério da Cultura)

Circulação das artes é tema de seminário da PNA

O Ministério da Cultura e a Fundação Nacional de Artes realizam, em Brasília, nos dias 30 e 31 de julho, o 1º Seminário do processo de construção da Política Nacional das Artes (PNA).  O tema do evento – “circulação nacional e internacional das artes” – será aprofundado pelo presidente da Funarte, Francisco Bosco, logo no início das discussões.

Foram convidados para a abertura o diretor de artes do British Council no Brasil, Luiz Coradazzi, e o diretor geral da Redelat (Red de Promotores Culturales de Latinoamérica y el Caribe), da Colômbia, Octávio Arbeláez. Eles farão um panorama do funcionamento dos mercados das artes em relação à circulação de artistas e produções culturais, assim como, das políticas de incentivo à internacionalização das artes no Reino Unido e na Colômbia.

No segundo dia de atividades, o público e os representantes das seis linguagens – artes visuais, circo, dança, música, literatura e teatro – se dividem e participam de duas atividades: rodas de conversas com dois convidados de cada área, pela manhã, e grupos de trabalho, à tarde.

Mesas Redondas
Para tratar de artes visuais, estão confirmados a professora de Museologia, pesquisadora e diretora do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), Manuelina Duarte (CE/DF) e o pesquisador e curador de arte contemporânea Moacir dos Anjos. Já os convidados da área circense são Carolina Garcez, responsável pela área de Circo na Gerência de Ação Cultural do Sesc-SP e a produtora e curadora do Festival Mundial de Circo (FMC), Fernanda Vidigal.

Personalidades da dança brasileira como a bailarina Iracity Cardoso e a professora e pesquisadora, Lenora Lobo, também participarão das atividades do dia 31 de julho. A mesa de literatura será representada pelo curador das edições 2014 e 2015 da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), Paulo Werneck e a presidente da Liga Brasileira de Editoras (Libre) Raquel Menezes

A diretora e produtora musical Melina Hickson e o compositor e produtor musical Thiago Cury conduzirão as discussões na área de música. E para debater as questões relacionadas ao teatro, estarão presentes Dane de Jade, atriz-pesquisadora e atual secretária de Cultura do Crato (CE), e o diretor teatral, cenógrafo e figurinista, Márcio Meirelles.

Grupos de trabalho
Os grupos de trabalho serão formados com os participantes das discussões da parte da manhã que irão, à tarde, elaborar propostas efetivas para serem inseridas na Política Nacional das Artes tendo como foco o tema do seminário. Os trabalhos serão moderados pelos articuladores da PNA: Jacqueline Medeiros (artes visuais); Junior Perim (circo); Rui Moreira (dança); Sérgio Cohn (literatura); Cacá Machado (música) e Marcelo Bones (teatro).

As atividades serão abertas ao público e gratuitas, com transmissão ao vivo pelo site do Ministério da Cultura (MinC), www.cultura.gov.br e pela plataforma digital do PNA www.culturadigital.br/pna. As reuniões também serão gravadas em vídeo e disponibilizadas no canal do youtube do ministério.

Programação completa

30 de Julho – Quinta-feira
Palestras de Abertura: I Seminário Circulação Nacional e Internacional das Artes.
Horário: 19h
Local: Funarte Brasília (Eixo Monumental, Setor Divulgação Cultural – Brasília, DF)

31 de julho – Sexta-feira
Local: Edifício Parque Cidade (Edifício Parque Cidade Corporate – SCS Quadra 09 Lote C Torre B do 10 ao 12º andar).

9h às 12h30 – Mesas Redondas das Linguagens Artísticas com convidados
Artes Visuais: Manuelina Duarte (CE/DF) e Moacir dos Anjos (PE)
Circo: Carolina Garcez (SP) e Fernanda Vidigal (MG)
Dança: Iracity Cardoso (SP) e Lenora Lobo (DF)
Literatura: Paulo Werneck (RJ) e Raquel Menezes (RJ)
Música: Melina Hickson (PE) e Thiago Cury (SP)
Teatro: Dane de Jade (CE) e Márcio Meirelles (BA)

14h às 17h – Grupos de Trabalho das Linguagens Artísticas com mediação dos articuladores da Política Nacional das Artes
Artes Visuais: Jacqueline Medeiros
Circo: Junior Perim
Dança: Rui Moreira
Literatura: Sérgio Cohn
Música: Cacá Machado
Teatro: Marcelo Bones

Fonte: Ascom MinC

Prêmio São Paulo de Literatura 2015 recebe inscrições

Seguem abertas até o dia 19 de agosto as inscrições para o Prêmio São Paulo de Literatura. No total, serão distribuídos R$ 400 mil em prêmios, sendo R$ 200 mil para o autor do “Melhor Livro do Ano”, e R$ 100 mil para cada um dos autores vencedores da categoria de estreantes. Confira aqui o edital do concurso.

Para concorrer ao prêmio, os livros devem ser de ficção no gênero romance, escritos originalmente em língua portuguesa, com primeira edição mundial publicada no Brasil ao longo do ano de 2014. A ênfase no gênero é uma característica do Prêmio São Paulo de Literatura desde sua criação, em 2008, inspirado no britânico Booker Prize.

É possível concorrer em uma das seguintes categorias: “Melhor Livro do Ano” e “Melhor Livro do Ano – Autor Estreante Mais de 40 anos" e "Melhor Livro do Ano – Autor Estreante Menos de 40 anos". Serão inscritos na categoria “Melhor Livro do Ano” autores que já publicaram romances anteriormente. Já na categoria dos estreantes, os escritores podem ter obras publicadas em outros gêneros, o importante é que o livro inscrito seja o seu primeiro romance.

Serão três listas de finalistas, uma para “Melhor Livro do Ano” e duas para “Melhor Livro do Ano Autores estreantes” contendo a divisão +40 e -40 anos, cada uma delas podendo conter entre 2 e 10 livros, a critério do júri. Com isso, o número total de finalistas pode chegar a 30.

Criado em 2008, o prêmio já contemplou 16 romances, de mais de 1.200 inscritos, e tem o objetivo de estimular escritores e a leitura com a valorização da produção literária nacional. Mais informações no site do Prêmio São Paulo de Literatura.

Secretaria Municipal de Cultura seleciona instituição para elaboração do Plano Municipal de Cultura

Instituição sem fins lucrativos terá seis meses a partir da assinatura do convênio para auxiliar a Secretaria a elaborar o Plano Municipal de Cultura de São Paulo; inscrições vão até dia 20 de agosto

A Secretaria Municipal de Cultura recebe, a partir desta terça-feira (21/7), inscrições de instituições sem fins lucrativos interessadas em auxiliar o poder público municipal na elaboração do instrumento norteador das políticas culturais na cidade de São Paulo, o Plano Municipal de Cultura. A elaboração deste documento é parte dos compromissos resultantes da adesão da cidade ao Sistema Nacional de Cultura (SNC).

Estruturado para o período de 10 anos e formalizado por meio de Lei Municipal, o Plano Municipal de Cultura possibilitará ao setor cultural e demais áreas implantar políticas integradas que contribuam para o desenvolvimento do campo cultural. O projeto de elaboração do Plano Municipal de Cultura será realizado através de seminário de lançamento e oficinas presenciais de mobilização e capacitação técnica com ampla participação de gestores públicos de cultura; instituições, movimentos e coletivos culturais e artísticos; produtores, artistas, agentes culturais e cidadãos em geral, garantindo a efetiva contribuição de todos os interessados.

As instituições interessadas e os responsáveis pelos projetos deverão realizar cadastro na plataforma SP Cultura como AGENTES para poder inscrever-se no edital, cujas inscrições se estendem até 20 de agosto. Toda a documentação exigida no edital deverá ser enviada por meio da plataforma, ou seja, não serão aceitas proposta entregues pessoalmente ou enviadas por e-mail. 

Entre os critérios que serão considerados na avaliação das propostas por uma comissão formada por cinco representantes da Secretaria Municipal de Cultura estão: histórico e portfólio da instituição; experiência comprovada na elaboração de Planos de Cultura e desenvolvimento de processos participativos; adequação da proposta aos objetivos do edital; ficha técnica e currículo dos profissionais envolvidos no projeto; entre outros.

Um convênio assinado entre o Ministério da Cultura e a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo destina para este edital o montante de R$ 330.580,00.

Confira o edital na íntegra