O ônibus-biblioteca

O projeto conta com quatro veículos e ampliou o atendimento para 28 diferentes pontos da cidade.

A partir de novembro mais pessoas passam a ter acesso a livros, periódicos e gibis. O projeto ônibus-biblioteca, que atendia apenas sete bairros da cidade chega agora a 28 pontos diferentes, priorizados pela ausência de equipamentos públicos. Além disso, alguns roteiros foram sugeridos pela própria população.

O novo projeto visual caracterizou o veículo com a cor amarela e estampou no vidro traseiro uma fotografia do primeiro ônibus a prestar este tipo de serviço na cidade. A primeira unidade móvel de informação foi implantada por Mário de Andrade, escritor e primeiro diretor do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo. Em funcionamento desde 1936, com interrupções em função de acontecimentos pontuais, o projeto ainda é mantido pela Secretaria Municipal de Cultura. Leia mais sobre a História do Ônibus-Biblioteca em São Paulo.

Além da caracterização dos novos veículos, foi contratada a Liga Brasileira de Editoras (LIBRE) para fornecer motoristas e uma programação mensal de encontro com autores.

Informações ao público:
Telefone: 11 3256-4122 ramal 111 com Miriam Minotti Menossi
E-mail: smb_onibusbiblioteca@yahoo.com.br

Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas
Tel.: 11 3675-8096

Horário de atendimento de todos os roteiros: 9h30 às 15h

Confira os 28 roteiros dos quatro ônibus-biblioteca:

ÔNIBUS 1
Roteiro 1 – 2ª feira: Av. Belmira Marin, 3865 – Grajaú
Roteiro 2 – 3ª feira: Rua Barros Penteado, 403 – Jardim Iguatemi
Roteiro 3 – 4ª feira: Praça José Boemer Roschel, s/nº – Vila São José
Roteiro 4 – 5ª feira: Rua Luís José Junqueira Freire, s/nº – Vila Penteado (atrás do sacolão)
Roteiro 5 – 6ª feira: Avenida Baronesa de Muritiba, nº 750 – Parque São Rafael
Roteiro 6 – Sábado:Avenida Cupecê, 5950 – Jardim Miriam
Roteiro 7 – Domingo: Avenida dos Metalúrgicos. Esquina com a Avenida Leandro – Cidade Tiradentes

ÔNIBUS 2
Roteiro 8 – 2ª feira: Avenida Tibúrcio de Souza, s/nº – Itaim Paulista
Roteiro 9 – 3ª feira: Praça Ermida – São Miguel
Roteiro 10 – 4ª feira: Avenida Kumaki Aoki, s/nº Jardim Helena
Roteiro 11 – 5ª feira: Rua Antônio Lázaro, s/nº – Sapopemba
Roteiro 12 – 6ª feira: Rua Joaquim Meira de Siqueira, s/nº – Parque do Carmo
Roteiro 13 – Sábado: Avenida das Alamandas, s/nº (E.E Professor Milton Cruzeiro) – Ponte Rasa
Roteiro 14 – Domingo: Rua Zélia Frias Street com Rua Bento Teixeira – Cidade Líder

ÔNIBUS 3
Roteiro 15 – 2ª feira: Estrada de M´Boi Mirim, altura do nº 4250 – Jardim Ângela
Roteiro 16 – 3ª feira: Praça Santa Amélia, s/nº – Jardim das Oliveiras – Jardim São Luís
Roteiro 17 – 4ª feira: Rua José Maria Pinto Zilli, s/nº – Jardim Eunice – Vila Andrade
Roteiro 18 – 5ª feira: Estrada de Itapecerica com Avenida Ellis Maas – Capão Redondo
Roteiro 19 – 6ª feira: Praça Batista Botelho ao final da Avenida Nossa Senhora do Outeiro – Cidade Dutra
Roteiro 20 – Sábado: Praça Luís Cunha Moreira próxima da Rua Salvador Rodrigues Negrão – Cidade Ademar
Roteiro 21 – Domingo: Rua Rafael Correia Sampaio – Jardim Palmares – Pedreira

ÔNIBUS 4
Roteiro 22 – 2ª feira: Rua Francisco Franco Machado, s/nº ao lado da Praça Ângelo Conti – Vila Medeiros
Roteiro 23 – 3ª feira: Rua do Inverno, s/nº – Brasilândia
Roteiro 24 – 4ª feira: Rua Ushikichi Kamiya, altura do nº 1.700 – Tremembé
Roteiro 25 – 5ª feira: Avenida José Brito de Freitas, nº 800 – Casa Verde
Roteiro 26 – 6ª feira: Rua Júlio Dantas, s/nº – Vila Dionísia – Cachoeirinha
Roteiro 27 – Sábado: Avenida Alfredo Ribeiro de Castro, s/nº – Cangaíba
Roteiro 28 – Domingo: Praça Alcindo Rocha Campos – altura do nº 1.300 da Rua Nossa Senhora do Sabará – Campo Grande

O ônibus-biblioteca

O projeto conta com quatro veículos e ampliou o atendimento para 28 diferentes pontos da cidade.

A partir de novembro mais pessoas passam a ter acesso a livros, periódicos e gibis. O projeto ônibus-biblioteca, que atendia apenas sete bairros da cidade chega agora a 28 pontos diferentes, priorizados pela ausência de equipamentos públicos. Além disso, alguns roteiros foram sugeridos pela própria população.

O novo projeto visual caracterizou o veículo com a cor amarela e estampou no vidro traseiro uma fotografia do primeiro ônibus a prestar este tipo de serviço na cidade. A primeira unidade móvel de informação foi implantada por Mário de Andrade, escritor e primeiro diretor do Departamento de Cultura da cidade de São Paulo. Em funcionamento desde 1936, com interrupções em função de acontecimentos pontuais, o projeto ainda é mantido pela Secretaria Municipal de Cultura. Leia mais sobre a História do Ônibus-Biblioteca em São Paulo.

Além da caracterização dos novos veículos, foi contratada a Liga Brasileira de Editoras (LIBRE) para fornecer motoristas e uma programação mensal de encontro com autores.

Informações ao público:
Telefone: 11 3256-4122 ramal 111 com Miriam Minotti Menossi
E-mail: smb_onibusbiblioteca@yahoo.com.br

Coordenadoria do Sistema Municipal de Bibliotecas
Tel.: 11 3675-8096

Horário de atendimento de todos os roteiros: 9h30 às 15h

Confira os 28 roteiros dos quatro ônibus-biblioteca:

ÔNIBUS 1
Roteiro 1 – 2ª feira: Av. Belmira Marin, 3865 – Grajaú
Roteiro 2 – 3ª feira: Rua Barros Penteado, 403 – Jardim Iguatemi
Roteiro 3 – 4ª feira: Praça José Boemer Roschel, s/nº – Vila São José
Roteiro 4 – 5ª feira: Rua Luís José Junqueira Freire, s/nº – Vila Penteado (atrás do sacolão)
Roteiro 5 – 6ª feira: Avenida Baronesa de Muritiba, nº 750 – Parque São Rafael
Roteiro 6 – Sábado:Avenida Cupecê, 5950 – Jardim Miriam
Roteiro 7 – Domingo: Avenida dos Metalúrgicos. Esquina com a Avenida Leandro – Cidade Tiradentes

ÔNIBUS 2
Roteiro 8 – 2ª feira: Avenida Tibúrcio de Souza, s/nº – Itaim Paulista
Roteiro 9 – 3ª feira: Praça Ermida – São Miguel
Roteiro 10 – 4ª feira: Avenida Kumaki Aoki, s/nº Jardim Helena
Roteiro 11 – 5ª feira: Rua Antônio Lázaro, s/nº – Sapopemba
Roteiro 12 – 6ª feira: Rua Joaquim Meira de Siqueira, s/nº – Parque do Carmo
Roteiro 13 – Sábado: Avenida das Alamandas, s/nº (E.E Professor Milton Cruzeiro) – Ponte Rasa
Roteiro 14 – Domingo: Rua Zélia Frias Street com Rua Bento Teixeira – Cidade Líder

ÔNIBUS 3
Roteiro 15 – 2ª feira: Estrada de M´Boi Mirim, altura do nº 4250 – Jardim Ângela
Roteiro 16 – 3ª feira: Praça Santa Amélia, s/nº – Jardim das Oliveiras – Jardim São Luís
Roteiro 17 – 4ª feira: Rua José Maria Pinto Zilli, s/nº – Jardim Eunice – Vila Andrade
Roteiro 18 – 5ª feira: Estrada de Itapecerica com Avenida Ellis Maas – Capão Redondo
Roteiro 19 – 6ª feira: Praça Batista Botelho ao final da Avenida Nossa Senhora do Outeiro – Cidade Dutra
Roteiro 20 – Sábado: Praça Luís Cunha Moreira próxima da Rua Salvador Rodrigues Negrão – Cidade Ademar
Roteiro 21 – Domingo: Rua Rafael Correia Sampaio – Jardim Palmares – Pedreira

ÔNIBUS 4
Roteiro 22 – 2ª feira: Rua Francisco Franco Machado, s/nº ao lado da Praça Ângelo Conti – Vila Medeiros
Roteiro 23 – 3ª feira: Rua do Inverno, s/nº – Brasilândia
Roteiro 24 – 4ª feira: Rua Ushikichi Kamiya, altura do nº 1.700 – Tremembé
Roteiro 25 – 5ª feira: Avenida José Brito de Freitas, nº 800 – Casa Verde
Roteiro 26 – 6ª feira: Rua Júlio Dantas, s/nº – Vila Dionísia – Cachoeirinha
Roteiro 27 – Sábado: Avenida Alfredo Ribeiro de Castro, s/nº – Cangaíba
Roteiro 28 – Domingo: Praça Alcindo Rocha Campos – altura do nº 1.300 da Rua Nossa Senhora do Sabará – Campo Grande

SP lança o mais alto prêmio literário do Brasil

Criada pela secretaria de Cultura do Estado, láurea pagará R$ 200 mil para o melhor livro do ano e o melhor estreante

Autores brasileiros poderão inscrever trabalhos de 2007 a partir da próxima semana; o resultado será anunciado no dia 23 de novembro

Eduardo Simões

A Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo vai lançar nos próximos dias o mais bem pago prêmio literário do Brasil. O Prêmio São Paulo de Literatura pagará R$ 200 mil para o melhor livro de ficção do ano, mais R$ 200 mil para o melhor livro estreante, também ficção. A primeira edição levará em conta livros de autores brasileiros publicados no ano passado.

A quantia ultrapassa com folga os valores máximos de outras láureas já concedidas no país, como o prêmio Portugal Telecom (R$ 100 mil), o Zaffari & Bourbon (R$ 100 mil), da Jornada de Passo Fundo, e o Jabuti (R$ 30 mil), o mais antigo e tradicional de todos.

O novo prêmio perde apenas para o também recém-criado Leya (www.leya.com), do grupo editorial português de mesmo nome, que irá pagar 100 mil (cerca de R$ 262 mil) para o melhor romance inédito escrito em português. E dará ainda prêmios de 25 mil (cerca de R$ 65 mil) para um ou mais finalistas. Já o Camões premia um autor de língua portuguesa, pelo conjunto da obra, com 100 mil.

Segundo o secretário estadual de Cultura, João Sayad, o prêmio segue os moldes do Booker Prize, o mais tradicional do Reino Unido, e terá duas etapas: na primeira, um corpo de cinco jurados vai indicar os dez livros finalistas; na segunda etapa, outro grupo de cinco jurados vai apontar os dois livros vencedores.

Indicados pelo Conselho Estadual de Cultura, os dois júris serão compostos por um crítico literário, um editor, um escritor, um livreiro e um jornalista da área. Os nomes serão anunciados posteriormente.

Vendas
"O objetivo do prêmio não é tanto divulgar um determinado autor, e sim incentivar a venda dos livros. E a idéia é que sejam os melhores livros do ano, nada necessariamente revolucionário", afirma Sayad, que irá anunciar o prêmio na primeira edição do Festival da Mantiqueira, que acontece neste fim de semana.

As inscrições começam já na próxima semana e podem ser feitas pelas editoras ou pelos próprios autores, na Secretaria de Cultura do Estado, ou pela internet, numa página que ainda está sendo criada. A secretaria ainda estuda como os livros deverão ser enviados.

Ainda não há uma data para o anúncio dos dez finalistas. Mas o resultado do primeiro Prêmio São Paulo de Literatura já tem data marcada: 23 de novembro.

(Fonte: Jornal Folha de S. Paulo, 29/05/2008)

SP lança o mais alto prêmio literário do Brasil

Criada pela secretaria de Cultura do Estado, láurea pagará R$ 200 mil para o melhor livro do ano e o melhor estreante

Autores brasileiros poderão inscrever trabalhos de 2007 a partir da próxima semana; o resultado será anunciado no dia 23 de novembro

Eduardo Simões

A Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo vai lançar nos próximos dias o mais bem pago prêmio literário do Brasil. O Prêmio São Paulo de Literatura pagará R$ 200 mil para o melhor livro de ficção do ano, mais R$ 200 mil para o melhor livro estreante, também ficção. A primeira edição levará em conta livros de autores brasileiros publicados no ano passado.

A quantia ultrapassa com folga os valores máximos de outras láureas já concedidas no país, como o prêmio Portugal Telecom (R$ 100 mil), o Zaffari & Bourbon (R$ 100 mil), da Jornada de Passo Fundo, e o Jabuti (R$ 30 mil), o mais antigo e tradicional de todos.

O novo prêmio perde apenas para o também recém-criado Leya (www.leya.com), do grupo editorial português de mesmo nome, que irá pagar 100 mil (cerca de R$ 262 mil) para o melhor romance inédito escrito em português. E dará ainda prêmios de 25 mil (cerca de R$ 65 mil) para um ou mais finalistas. Já o Camões premia um autor de língua portuguesa, pelo conjunto da obra, com 100 mil.

Segundo o secretário estadual de Cultura, João Sayad, o prêmio segue os moldes do Booker Prize, o mais tradicional do Reino Unido, e terá duas etapas: na primeira, um corpo de cinco jurados vai indicar os dez livros finalistas; na segunda etapa, outro grupo de cinco jurados vai apontar os dois livros vencedores.

Indicados pelo Conselho Estadual de Cultura, os dois júris serão compostos por um crítico literário, um editor, um escritor, um livreiro e um jornalista da área. Os nomes serão anunciados posteriormente.

Vendas
"O objetivo do prêmio não é tanto divulgar um determinado autor, e sim incentivar a venda dos livros. E a idéia é que sejam os melhores livros do ano, nada necessariamente revolucionário", afirma Sayad, que irá anunciar o prêmio na primeira edição do Festival da Mantiqueira, que acontece neste fim de semana.

As inscrições começam já na próxima semana e podem ser feitas pelas editoras ou pelos próprios autores, na Secretaria de Cultura do Estado, ou pela internet, numa página que ainda está sendo criada. A secretaria ainda estuda como os livros deverão ser enviados.

Ainda não há uma data para o anúncio dos dez finalistas. Mas o resultado do primeiro Prêmio São Paulo de Literatura já tem data marcada: 23 de novembro.

(Fonte: Jornal Folha de S. Paulo, 29/05/2008)

Estande da Libre na XI Bienal do Livro da Bahia

A presença da Libre (Liga Brasileira de Editoras) na XI Bienal do Livro da Bahia, que acontece até o dia 17 de novembro no Centro de Convenções da Bahia, leva ao evento uma bandeira que é do interesse de todos os leitores: a da bibliodiversidade.

Um ambiente cultural tem alta bibliodiversidade quando nele estão presentes um alto número de títulos, autores e projetos editorais. De modo simples, podemos dizer que quanto mais bibliodiversidade, mais opção real de leitura está presente. Assim como uma floresta de eucaliptos tem muitas árvores, mas pouca biodiversidade, uma feira que só apresenta os best sellers tem muitos exemplares, mas poucos livros.

A  Libre está muito feliz em participar da Bienal do Livro da Bahia. A bandeira da bibliodiversidade, uma bandeira democrática, que pensa, sobretudo, no livre debate de ideias e num direito do público a diferença, vem sendo defendida pela Libre há mais de uma década, em que lutamos contra a “pasteurização” do mercado do livro, tanto nas livrarias quanto nas compras governamentais.
As editoras da Libre fizeram a opção pela diferença, em livros para crianças e adultos, e conta com associados de todo o país, do Pará ao Rio Grande do Sul, passando, claro, pela Bahia, com a Solisluna Editora. Dessa vez, somos 16 editoras apresentando diversidade cultural, étnica, política e social por meio dos livros que publicamos. Estão no nosso estande coletivo, além da Solisluna, as editoras Alameda, Aleph, Apicuri, Contraponto, Evoluir, Giz, Gryphus, Mazza, Metanoia, Mourthe, Musa, Pallas, Parábola, Terceiro Nome e Valentina. É um presente para a gente participar desse evento, e acreditamos que os leitores ficarão muito contentes com a exposição inédita dessa alta qualidade editorial.

Serviço
Estande da Libre na XI Bienal do Livro da Bahia
Data: 8 a 17 de novembro de 2013
Local: Centro de Convenções da Bahia – Av. Simon Bolivar, s/n, Salvador – Bahia.
Ingressos: R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia-entrada). Professores, bibliotecários e profissionais do livro tem acesso gratuito.