PRIMAVERA LITERÁRIA DESEMBARCA EM SÃO PAULO COM DESCONTOS EM LIVROS E PRESENÇA DE CONVIDADO INTERNACIONAL

Parque Villa Lobos
Parque Villa Lobos

Depois de ser instalada nos jardins do Museu da República, no Rio de Janeiro, onde conquistou pessoas de todas as idades com uma programação de debates aprofundados sobre a literatura, a realidade política e o papel do livro na sociedade, a Primavera Literária será montada na esplanada do Parque Villa-Lobos, em Pinheiros, no próximo fim de semana (dias 26 e 27/11). 
 
Ao longo do parque, serão montados stands de 31 editoras filiadas à Libre e também de convidadas, que oferecerão no espaço da Primavera Literária mais de mil títulos dos mais variados gêneros literários, de publicações acadêmicas aos livros infantis. Como as vendas serão realizadas diretamente pelas editoras, o público poderá se beneficiar de descontos de no mínimo 20% em relação aos preços praticados nas livrarias.
 
"Levaremos a São Paulo o desejo de consolidar a Primavera Literária como um evento do calendário da cidade. Fecharemos na cidade um circuito de debates e atrações que já passou por Salvador, Belo Horizonte e pelo Rio de Janeiro, com o desejo de continuidade para o ano que vem", pondera Raquel Menezes, presidente da Liga Brasileira de Editoras (Libre), entidade que promove o evento.
 
A programação conta com muitas atrações, além de repercutir uma tendência já apresentada na edição carioca.  Um brasilianista norte-americano apresentará reflexões sobre o momento político e social conturbado que vive o Brasil. No Rio, o convidado foi o francês Jean-Paul Delfino, que participou da mesa "Rio à la française" e abordou os laços culturais entre o Rio de Janeiro e a França, mas também enfatizou que a atual realidade coloca em xeque os valores republicanos, em boa parte absorvidos da cultura francesa, e agora rediscutidos, como o papel do Estado, o caráter da democracia e os limites da liberdade de expressão.
 
Em São Paulo, o convidado será James Naylor Green, professor da norte-americana Universidade Brown, de Rhode Island. Green viveu no Brasil entre 1976 e 1982, onde desenvolveu pesquisas sobre a sexualidade e as formas de organização política na ditadura militar. Naylor Green leciona "História da América Latina" nessa universidade, onde exerceu a interlocução com pesquisadores brasileiros na "Associação de Estudos Brasileiros", que tinha como objetivo a discussão dos problemas do Brasil.
 
Ele participará no sábado (26/11), a partir das 16h, da mesa "Historiadores pela Democracia: o que está em jogo?", ao lado de Janaína Teles, doutora em História Social pela USP e que, em 1972, foi sequestrada pela Operação Bandeirante aos cinco anos ao lado do irmão Edson. Janaína, que é professora da Fundação Santo André, milita no campo dos Direitos Humanos e da Memória Política, onde se notabilizou ao mover, em 2005 uma ação contra o coronel Brilhante Ustra, morto no ano passado.
 
A Primavera Literária de São Paulo terá também atrações especiais para o público infantil: No sábado (26/11), a partir das 9h30m. Selma Maria, autora de "ABC da Água", vai brincar e conversar com as crianças sobre a água e suas variações: bolha de sabão, chuva, gelo, lágrima, suor, orvalho, vapor. No domingo 927/11), também a partir das 9h30m, a editora Thaisa Burani fará a sessão de contação de histórias "Diversidade também é coisa de criança", apresentando as obras "Monstro Rosa" e "Pássaro Amarelo", da espanhola Olga de Dios, lançadas no Brasil pela editora Boitatá, selo infantil da Boitempo Editorial. 
 
Ao final da programação de domingo, a partir das 17h30, haverá show do conjunto cômico "Saco de Gatos", banda de humor que surgiu no começo dos anos 80 e foi retomada em 2005. Em 2012, a "Saco de Gatos" lançou o CD "Era pra ser vinil".
 
0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *