Festival Literário Internacional de BH traz a Primavera da Libre para a capital mineira

Festival Literário Internacional de BH traz a Primavera da Libre para a capital mineira

Organizada pela Liga Brasileira de Editoras, evento trará feira de livros, lançamento, narrações de histórias, palestras e outras atrações para o Festival Literário Internacional de Belo Horizonte

A Liga Brasileira de Editoras (Libre), em parceria com a Fundação Municipal de Cultura e com a Associação de Amigos do Centro de Cultura de Belo Horizonte, realiza na capital mineira a primeira edição da Primavera da Libre, tradicional evento que reúne editoras de todo o país e que acontece há mais de uma década no Rio de Janeiro e em São Paulo. Na edição mineira, a Primavera integra a programação do FLI-BH.

“Ter a Primavera da Libre no 1º Festival Literário Internacional de Belo Horizonte em muito enriquece o evento, não apenas porque a feira oportuniza ao público a aquisição de livros a um preço acessível, mas também porque os seminários, palestras e oficinas das quais participarão autores da Libre adicionam  à nossa programação conteúdo diverso e de excelente qualidade.”, explica Leônidas Oliveira, presidente da Fundação Municipal de Cultura de BH.

A Primavera chega a BH no âmbito do primeiro Festival Literário Internacional FLI-BH, com uma feira literária composta por 54 editores, que venderão diversos livros com até 50% de desconto. Além da comercialização de livros, a Primavera promove também lançamentos, debates, palestras, narrações de histórias e oficinas para crianças, adultos, professores, bibliotecários e mediadores de leitura. Uma intensa programação que ocorrerá entre os dias 25 a 28 de junho e que mostra a diversidade do trabalho da Libre.

“A realização da Primavera da Libre em Belo Horizonte é mais um passo importante que a instituição dá em favor da qualidade editorial. Pretendemos marcar cada vez mais presença em Minas Gerais. Com uma cultura que remete às raízes brasileiras, o estado tem muito a contribuir para o avanço da bibliodiversidade, conceito que promove a pluralidade na literatura e é uma das principais bandeiras das editoras independentes. Não por acaso a nova diretoria da Libre, eleita para o período 2015/2017, escolheu a Primavera da Libre de Belo Horizonte para realizar a cerimônia de posse”, explica Raquel Menezes, presidente da Liga Brasileira de Editoras.

Como destaque, a programação traz uma aula-show com Ilan Brenman, escritor e especialista em literatura infantil e juvenil, ganhador de diversos prêmios e traduzido em vários países. Em sua apresentação, ele abordará o politicamente correto na literatura destinada para crianças e jovens.

A Libre promoverá também mesas de debates como a “Vidas escritas”, com Regina Echeverria e Nádia Gotlib, que discutirão o tema das biografias, e a mesa “Corpo, sexualidade e gênero na literatura”, que contará com a presença de Flavio Sanctum e Lorena Miyuiki, autores publicados pela editora Metanoia, a única do país dedicada à literatura LGBT.

Haverá também uma mesa sobre literatura afro-brasileira com autores da Pallas e Mazza edições, as duas principais editoras do Brasil especializadas em literatura afro-brasileira.

Primavera da LIBRE
A Primavera da LIBRE é a maior feira literária independente do Brasil e também está entre as mais expressivas do gênero no mundo. Promovida pela Liga Brasileira de Editoras (Libre), a Primavera nasceu em 2001, no Rio de Janeiro, com o compromisso de ser, além de uma feira comercial,  um espaço cultural onde os pequenos e médios editores nacionais pudessem apresentar suas produções, interagir com o público e discutir o livro. A diversidade dá o tom da feira e da programação literária a partir dos muitos gêneros editados por cerca de 56 editoras. Ao todo, são 8 mil títulos, com descontos que chegam a 50%.

Com essa trajetória já consolidada, era fundamental que a Primavera da Libre entrasse no calendário dos eventos literários da capital mineira, cidade tradicionalmente leitora. (A população belo-horizontina é a que mais lê livros no país, segundo pesquisa. É também a cidade que tem o maior número de livrarias por habitante, segundo a ANL. ). “E nada melhor do que fazer a primeira edição associada à FLI-BH, um evento de grande porte, que conta com o apoio do poder público, com programação de qualidade e que certamente terá grande visibilidade.”, explica Juliana Mont’Alverne Flores, Diretora de Eventos da LIBRE.

Liga Brasileira de Editoras
A Liga Brasileira de Editoras (LIBRE) é uma rede de editoras que trabalham cooperativamente, preservando a bibliodiversidade no mercado editorial brasileiro e buscando o fortalecimento do setor.  Criada há 14 anos, um ano após pequenos editores se reunirem pra realizar a primeira Primavera no Rio de Janeiro, a rede busca a ampliação do público leitor, o fortalecimento das empresas editoriais independentes, e a criação de políticas públicas em favor do livro e da leitura. Atualmente, são 56 editoras filiadas, 16 mil títulos em catálogo, 100 novos lançamentos a cada mês e mais de 2 milhões  de exemplares impressos por ano.

O FLI-BH
O Festival Literário Internacional de Belo Horizonte – FLI-BH nasce da convergência de políticas públicas de acesso ao livro, à leitura e à literatura que a Prefeitura, através, da Fundação Municipal de Cultura, desenvolve. Atualmente, são 20 bibliotecas espalhadas pela cidade, que contam com um acervo em permanente formação.  Por ano, são cerca de 160 mil pessoas atendidas, 40 mil empréstimos de livros e 800 atividades de incentivo à leitura realizadas.

A Fundação também promove dois dos maiores concursos literários nacionais: o João-de-Barro, dedicado à literatura infantil e juvenil; e o prêmio Cidade de Belo Horizonte – que está com as inscrições abertas até o dia 18 de maio e premiará com 50 mil reais as melhores obras nas categorias conto e poesia. A FMC vem discutindo com a sociedade civil o Plano Municipal de Leitura, Livro, Literatura e Bibliotecas, que consolidará a política pública para o setor.

Além de ser a culminância das ações destinadas ao acesso ao livro e a promoção da leitura na capital mineira, um festival inteiramente dedicado à literatura era demanda antiga de escritores, ilustradores, editores, livreiros e leitores da cidade, que queriam um evento grande para a literatura, nos mesmos moldes dos festivais já realizados pela Fundação – como o Festival Internacional de Teatro, o Festival Internacional de Quadrinhos e o Festival de Arte Negra.

O Festival acontecerá entre os dias 25 e 28 de junho, no Parque Municipal de Belo Horizonte.

webmaster@criatudo.com.br

Os comentários estão fechados.